Estatística de Policiais Mortos e Baleados em 2009

By robertatrindade

Fotos: Bruno Gonzalez, Júlio Almeida, Pedro Pantoja, Rodrigo Lopes e Vitor Silva

O ano de 2009 terminou com 187 policiais fluminenses sendo alvos de atentados. A estatística fechou com 98 PMs mortos, 12 PCs mortos, 70 PMs baleados, 6 PCs baleados e 1 PRF baleado. Dos 187 policiais, 64 estavam de serviço: 20 morreram.

Policia

2 de janeiro: 2 PMs mortos
Lotados no Auxílio à Polícia de Trânsito (APTran) do 32º BPM (Macaé), o sargento Rogério Barberino, 46 anos, e o soldado Leandro de Moura Teixeira, 25, foram assassinados pelo técnico de som Ricardo Carneiro Essucy, 44. Eles realizavam patrulhamento de rotina no Centro de Rio das Ostras quando foram acionados para conter uma discussão a poucos metros da rodoviária.

policia

3 de janeiro: 2 PMs baleados
Lotados no Módulo Operacional de Vias Especiais (MOVE) do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), o soldado Márcio da Paz Pinho, 28 anos, e o cabo Marcos Valério de Souza Santos foram baleados no Elevado Engenheiro Freyssinet, mais conhecido como Elevado Paulo de Frontin, no Rio Comprido, quando faltavam 20 minutos para deixar o posto de serviço. os policiais foram alvos de tiros de fuzil efetuados por ocupantes de um Eco Sport preto de placa não anotada.

5 de janeiro: 1 PM morto
O policial militar Lúcio Luiz Lopes, 35 anos, lotado no 9º BPM (Rocha Miranda), foi morto, em Jacarepaguá, após ter sido baleado pelo colega de batalhão, Josué Jivago de Freitas Soares, 33. A mulher de Josué, Michelle Nascimento, contou que os dois trocaram tiros após discutir por causa de R$ 3.700,00.

7 de janeiro: 1 PM morto
O sargento Antônio dos Santos Filho, 43, lotado no 1º BPM (Estácio), foi abordado quando trafegava com seu veículo – o Palio branco placa LCS 9992 – próximo à passagem de nível da Estação Ferroviária, no Jardim Gramacho. Policiais militares lotados no 15º BPM (Duque de Caxias) revelaram que pelo menos quatro homens em um Golf de cor e placa não anotadas tentaram roubar o carro do sargento, que reagiu e acabou sendo baleado. Ele não resistiu aos ferimentos.

7 de janeiro: 1 PM baleado
O soldado PM Fernando Queiroz Santa Marta, 34, foi baleado ao reagir a assalto na porta de casa, no bairro Jardim Primavera, em Duque de Caxias. Um dos criminosos, Reinaldo Júnior de Oliveira Pereira, 22, morreu na troca de tiros. O comparsa dele conseguiu fugir.

enterro-pm

11 de janeiro: 1 PM morto
O cabo PM Anderson da Silva Oliveira, 30, morreu ao reagir a uma tentativa de assalto. Lotado no 2º BPM (Botafogo), ele se dirigia ao trabalho, em sua moto, quando foi surpreendido por uma falsa blitz que estava sendo realizada na Avenida Marechal Rondon, próximo à Rua Henrique Dias, no Rocha. Baleado na barriga, ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Salgado Filho, mas não resistiu aos ferimentos.

14 de janeiro: 1 PM morto
O corpo do subtenente reformado Rogério Luiz Nogueira Agueiro, 49, foi encontrado no Morro do Roseiral, em Belford Roxo, na Baixa Fluminense. Ele havia sido expulso de casa pelo traficante conhecido como Zingo. O PM chegou a morar em Santa Cruz e Campo Grande, onde foi ameaçado por milicianos porque não queria fazer parte do grupo. Quando voltou para Belford Roxo, foi intimidado por um fogueteiro do tráfico, que disse: “Fugiu no Ano Novo, né?”

16 de janeiro: 1 PM morto
O sargento PM Marco Antônio Barreto Siqueira, o Rambo, 41 anos, foi assassinado com vários tiros de fuzil no fim da noite de sexta-feira, na porta de casa, na Rua Punta Del Este, na localidade Terra Bela, em Campo Grande, Zona Oeste do Rio. Ele estava na Diretoria Geral de Pessoal (DGP). Estava cedido há três anos ao gabinete do deputado estadual coronel Jairo (PSC). Trabalhava como motorista do oficial, que é vice-presidente da Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). Não sei o porquê, mas a assessoria do deputado negou a informação.

17 de janeiro: 2 PMs baleados
O sargento PM Renato Sunny Ferreira da Silva, 36 anos, e o soldado Mário Pernambuco, lotados no 6º BPM (Tijuca), ficaram feridos durante ataque de bandidos a uma blitz realizada na Avenida Castelo Branco, na pista sentido Centro, próximo à saída do metrô do Maracanã. Os policiais checavam os documentos de uma moto em que viajavam Anderson Silvério da Silva e Thianny Úrsula do Carmo de Jesus Bellarmino quando vários homens chegaram ao local em vários carros, saltaram dos veículos e atiraram contra o PM e o casal. Os quatro foram baleados. Os criminosos teriam usado um Golf de cor e placa não anotadas, um Mitsubishi preto e uma Toyota Hilux vermelha.

17 de janeiro: 2 PMs baleados
Dois policiais militares lotados no 27º BPM (Santa Cruz) foram baleados em locais distintos, durante a folga. Em Santa Cruz, o cabo Carlos Josia da Silva Barbosa foi atingido por três tiros de fuzil e chegou a falar os nomes dos responsáveis pelos disparos, antes de ser socorrido. O outro PM, o cabo Bruno Marcelo Caetano dos Santos, foi atingido na porta de casa, em um condomínio da Caixa Econômica Federal (CEF) perto do West Shopping, em Campo Grande, também na Zona Oeste do Rio.

policia

20 de janeiro: 1 PM baleado
O Posto de Policiamento Comunitário (PPC) de Vila Tiradentes, no encontro das ruas José de Carvalho e Odila, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, foi alvo da ação de criminosos, no início da noite. Os bandidos passaram em frente ao PPC, que pertence ao 21º BPM (São João de Meriti) em um carro de placa e modelo não anotados e dispararam vários tiros em direção ao posto, onde havia três policiais militares de serviço. O soldado Pedro Paulo de Carvalho, 29 anos, acabou atingido por um tiro na virilha.

niteroi-homicidio-policial-julio-almeida02

25 de janeiro: 1 PC morto
Durante um assalto sofrido na Zona Sul de Niterói, no início da manhã, o policial civil aposentado Higino da Silva Samari, 64 anos, acabou sendo executado ao ter sua identidade descoberta pelos criminosos. Ele estava em uma moto, parado no sinal após o túnel Raul Veiga – que liga os bairros de São Francisco e Icaraí – quando foi abordado por quatro bandidos, por volta das 9h30. Três deles estavam no interior do Vectra preto placa LUW 7574. O policial teria tentado fugir, saindo do carro, mas um dos motoqueiros que davam cobertura ao Vectra retornou na contramão da Rua Marquês do Paraná, na altura da Avenida Amaral Peixoto, já no Centro de Niterói, e efetuou quatro disparos de pistola calibre 45 contra a vítima. Ele foi atingido por um tiro na cabeça, dois no tórax e um na coxa da perna esquerda.

31 de janeiro: 1 PM morto
Lotado no Serviço de Inteligência (P-2) do 9º BPM (Rocha Miranda), o sargento Ricardo Veríssimo Pereira, 27 anos, foi morto, logo depois de deter um outro sargento da corporação por suspeita de envolvimento com a milícia, na favela Chapadão, na Pavuna. Depois de cumprir a prisão, o PM voltou à favela para reunir mais provas de que o sargento preso, que era lotado no 20º BPM (Mesquista), estava extorquindo comerciantes no local e acabou morto por uma dupla de bandidos.

policial-morto-em-campinho-vitor-silva

3 de fevereiro: 1 PC morto
O policial civil Hamilton Trindade, 45 anos, foi morto na Rua Olímpio de Azevedo, em Campinho, na Zona Norte do Rio. Ele era auxiliar de necropsia do Instituto Médico Legal (IML) e foi atingido por oito tiros no rosto e nos braços.

Policia

4 de fevereiro: 1 PC morto
O policial civil Plácido da Cunha Faria, 51 anos, foi morto com vários tiros quando saía de casa, na Rua Clóvis Salgado, no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio. Ele era lotado no Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE). Dois homens mascarados fizeram cerca de dez disparos de pistola contra o policial e fugiram logo em seguida.

4 de fevereiro: 1 PM morto
O tenente-coronel reformado Paulo Roberto Barbosa da Silva, 62 anos, morreu após levar cinco tiros ao tentar impedir um assalto em Camboinhas, na Região Oceânica de Niterói, no final da noite. O oficial foi baleado cinco vezes – três no rosto e duas no peito – ao se atracar com um criminoso no Quiosque da Tia Lúcia, no calçadão da orla da Praia de Camboinhas, por volta das 21 horas. Além do PM, o vigia Adão Alves Cordeiro, 41, também foi atingido por dois tiros – um na mão direita e outro no abdômen.

Policia

6 de fevereiro: 1 PC morto e 1 PM baleado
O inspetor da Polícia Civil Álvaro Cavalcante de Souza, 48 anos, lotado na 59ª DP (Duque de Caxias), morreu ao trocar tiros com o tenente da Polícia Militar Diego Luciano de Almeida, 30, lotado no 16º BPM (Olaria). O PM foi baleado três vezes, na perna, na coxa e no pé. A discussão ocorreu na lanchonete Habibs localizada na Avenida Meriti, na Vila da Penha, por volta das 4h30.

7 de fevereiro: 1 PM morto
O sargento Manoel Coutinho Filho, lotado no 1º BPM (Estácio), morreu no Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, onde estava internado desde a manhã do sábado. Ele chegou à unidade após ser transferido do Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro, para onde foi levado após ter sido baleado enquanto fazia patrulhamento de rotina na Rua Itapiru, no Rio Comprido, por volta das 5 horas. O PM foi atingido por disparos de fuzil nas costas e na perna, efetuados por bandidos que tentaram fechar a rua para praticar assaltos. Os criminosos, que seriam do Morro da Mineira, fugiram.

Foto de Paulo Alvadia / AG O DIA

7 de fevereiro: 1 PM morto
O segundo-sargento Roosevelt Vale da Silva, 46 anos, lotado no Grupamento de Ações Táticas (GAT), morreu após ser baleado no tórax por criminosos do Engenho da Rainha, no início da manhã. O PM se dirigiu com sua equipe até a Rua João Ribeiro, onde traficantes dos morros do Engenho e do Urubu estariam praticando assaltos. Ele chegou a ser socorrido e levado para Hospital Salgado Filho, no Méier, mas não resistiu ao ferimento. A menor Marta Cristina da Silva, 14 anos, que estava grávida de quatro meses, e o técnico em telefônica Marco Antônio Simões, 37, foram vítimas de balas perdidas. Os dois também faleceram na unidade de saúde. A menor estava no interior de uma Belina quando dois criminosos abordaram o veículo e tentaram fugir escondidos nele. O motorista tinha mandado de prisão por homicídio e ficou detido na 25ª DP (Engenho Novo).

7 de fevereiro: 1 PM morto
Lotado no 10º BPM (Barra do Piraí), o cabo André Luiz Mota, 30 anos, foi morto a tiros no interior de um bar em Vassouras, no interior do Rio, já à noite. O PM estava em um bar na Rua Bingue, no Morro da Vaca, quando uma confusão foi iniciada. O cabo baleou Roberto Patrocínio Pereira, 27, na perna, e Sidnei Patrocínio Pereira, 30, na barriga. O primeiro conseguiu desarmar o PM e deu dois tiros no peito dele. Os irmãos estão custodiados no Hospital Universitário Sul Fluminense, no bairro Madruga, e um terceiro homem, identificado como Juan Carlos Barbosa do Nascimento, 20, foi levado para a 95ª DP (Vassouras).

7 de fevereiro: 1 PM morto
O cabo Antônio Carlos Rodrigues da Silva, lotado no 17º BPM (Ilha do Governador), foi morto a tiros na favela Muriçaba, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio. Ele estava participando de um churrasco na Rua 3, quando quatro bandidos em uma pick-up se aproximaram do grupo e atiraram. Outras duas pessoas foram baleadas: um homem, atingido na perna, e um morador que passava pelo local, na cabeça. Os feridos, identificados como Anderson de Melo, 26 anos, e Vinícius da Silva Jardim, 18, foram levados para o Hospital Rocha Faria, em Campo Grande.

8 de fevereiro: 1 PM morto
O terceiro-sargento Carlos Eduardo Souza Neves, lotado no Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), morreu após uma tentativa de assalto no Rio Comprido, na Zona Norte do Rio, no início da manhã. O PM seguia de moto pela Avenida Paulo de Frontin, sentido Zona Sul, quando foi abordado por suspeitos em outra moto, por volta de 7h. Ele reagiu e houve troca de tiros, sendo atingido por três disparos. O sargento chegou a ser levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, mas não resistiu aos ferimentos. Os criminosos conseguiram fugir, mas na fuga deixaram cair três bolsas que seriam de supostas vítimas de assalto.

18 de fevereiro: 1 PC morto
O policial civil Eliseu Botelho, lotado na 4ª DP (Praça da República), foi morto a tiros na madrugada, na Vila Mimosa, próximo à Praça da Bandeira, na Zona Norte do Rio.

19 de fevereiro: 1 PC morto
O policial civil Osmar Ismail Jordão da Silva foi morto a tiros depois de uma tentativa de assalto em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio. Quatro criminosos tinham roubado um carro na Favela Sete de Abril, no mesmo bairro, e teriam avistado o policial, que usava uma pulseira dourada. Ao perceber que seria assaltado, ele trocou tiros com os criminosos. Um deles chegou a ficar ferido, mas todos fugiram. O policial foi baleado e encaminhado para o Hospital Pedro II, onde morreu.

Cabo PM Vanderlon Abreu da Paixão, 33 anos

25 de fevereiro: 1 PM morto
O cabo da Polícia Militar Vanderlon Abreu da Paixão, 33 anos, morreu no Hospital Geral de Bonsucesso (HGB), no bairro de mesmo nome, na Zona Norte do Rio. O PM, que era lotado no 23º BPM (Leblon), deu entrada na unidade após ser baleado em assalto ocorrido na Avenida Brasil, na altura do Piscinão de Ramos, por volta das 10h20.

Polícia

26 de fevereiro: 1 PM baleado
O cabo da Polícia Militar Anderson Luís de Souza Pereira, lotado no 27º BPM (Santa Cruz), levou um tiro na região glútea durante confronto com traficantes que controlam a venda de drogas na Favela Cesarinho, em Paciência, na Zona Oeste do Rio. A troca de tiros ocorreu na Estrada de Santa Eugênia. O PM foi socorrido e levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, onde ficou internado em observação. O registro foi feito na 36ª DP (Santa Cruz).

26 de fevereiro: 1 PM morto
O sargento da Polícia Militar Joelson Pereira, lotado no 9º BPM (Rocha Miranda) morreu após ser atingido durante confronto com traficantes do Morro do Chapadão, em Costa Barros, onde bandidos de quadrilhas rivais disputavam o ponto de venda de drogas. O PM ainda foi levado para o Hospital Carlos Chagas, mas não resistiu aos ferimentos.

27 de fevereiro: 2 PMs baleados
Lotados na 1ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar (1ª DPJM), o cabo PM Fábio da Silva Ésper, 32 anos, e o soldado PM José Cândido da Silva, 26, foram baleados na Favela João Teles, na localidade conhecida como Bancários, na Ilha do Governador. Os PMs realizavam investigações na região quando entraram por engano na Rua Doutor Agenor Almeida de Loyola, com o Gol branco descaracterizado, placa LNY 5333. O cabo foi baleado de raspão na cabeça e o soldado foi atingido na mão esquerda, também de raspão. Os policiais foram socorridos no Hospital da Força Aérea do Galeão. Outros dois PMs que estavam na viatura, que ficou com cerca de 10 marcas de tiros, nada sofreram.

Policia

28 de fevereiro: 1 PM baleado
O sargento Sérgio Ferreira, lotado no 20º BPM (Mesquita), saía de casa, em Austin, na Baixada Fluminense, em direção ao serviço quando foi surpreendido pelos criminosos. Ele trocou tiros com os bandidos e conseguiu atingir um deles. O policial foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, mais conhecido como Hospital da Posse.

2 de março: 1 PM morto
O sargento da Polícia Militar Cláudio Pinheiro da Silva, lotado no 19º BPM (Copacabana), foi morto a tiros próximo de sua casa, em Imbariê, na Baixada Fluminense, no início da tarde. O PM foi abordado por homens que estavam em uma motocicleta, na esquina das ruas Rodrigues Alves e 14 de julho. Ele teria reagido à tentativa de assalto e acabou atingido. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Adão Pererira Nunes, em Saracuruna, mas não resistiu aos ferimentos.

6 de março: 1 PM morto
O cabo Marco Aurélio Quirino de Oliveira, 36 anos, lotado no 9º BPM (Rocha Miranda), morreu ao reagir a assalto em uma casa lotérica localizada na Rua Carolina Machado, próximo à estação de trem, no bairro Oswaldo Cruz.

11 de março: 1 PM morto
Lotado no 28º BPM, o soldado Braga morreu ao tentar impedir um assalto no interior de uma padaria no bairro onde morava, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, por volta das 22 horas. Ele estava no comércio quando um assaltante anunciou o crime. O PM deu voz de prisão ao criminoso, que reagiu atirando. O policial ainda conseguiu revidar e atingir o bandido, que também morreu. Baleado no peito, o soldado foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, mas não resistiu. O corpo do PM foi enterrado no Cemitério Jardim da Saudade, em Mesquita.

12 de março: 1 PM morto
O soldado da Polícia Militar Marlon Rodrigues de Faria, 27 anos, morreu ao tentar impedir um assalto a uma farmácia em Rio das Ostras, na Região dos Lagos. A mulher do PM estava com dor de cabeça e pediu para ele comprar um comprimido. Quando o policial chegou na farmácia e percebeu o assalto, reagiu, mas acabou sendo baleado e morreu.

12 de março: 1 PM morto
O policial militar Francisco José Barreto foi assassinado na Estrada do Barro Vermelho, no bairro Rocha Miranda, na Zona Norte do Rio. O PM havia acabado de sair de um campo de futebol de grama sintética com a mulher quando foi abordado por ocupantes de uma moto. Ele teria sido atingido por cerca de oito tiros em frente ao Colégio Euclides da Cunha.

13 de março: 1 PM morto
O cabo da Polícia Militar Carlos Renato Geraldo da Silva, 40 anos, lotado no 6º BPM (Tijuca), foi encontrado morto em seu carro, na Estrada da Posse, no bairro Adriana, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio.

dpo-sambaetiba

13 de março: 1 PM morto e 1 PM baleado
Lotados no 35º BPM (Itaboraí), o sargento da Polícia Militar Yolando Flávio Silva, 38 anos, e o cabo Robson da Silva Reis, 35, foram baleados no interior do Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) de Sambaetiba, em Cachoeiras de Macacu, durante a madrugada. Eles estavam de serviço quando ocupantes de um Palio branco pararam e se dirigiram ao posto insinuando querer informações. Quando se aproximaram dos PMs, eles começaram a atirar. O sargento foi o primeiro atingido e sequer teve tempo de reagir. O cabo e um outro policial lotado no DPO sacaram suas armas e deram início a um confronto. Enquanto o sargento foi baleado várias vezes, Robson foi atingido na mão e nas nádegas. O primeiro não resistiu aos ferimentos.

14 de março: 1 PM morto
O sargento PM Sebastião Rocha foi assassinado a tiros na porta de casa, em Nilópolis, na Baixada Fluminense, ao reagir a um assalto. O crime ocorreu na rua Coronel Fausto Damião, no Centro. O PM chegou a ser socorrido pela esposa e por um vizinho, mas morreu no hospital Pronil, também em Nilópolis.

14 de março: 1 PM baleado
O cabo PM Maurício Leite dos Santos, 42 anos, lotado no 12º BPM (Niterói), foi baleado na Avenida Brasil, no acesso à Rodovia Presidente Dutra, na altura do bairro Jardim América. O PM estava em um ônibus e seguia para o batalhão, quando criminosos anunciaram o assalto. Ele reagiu e acabou ferido na barriga e no peito. O cabo foi levado para o Hospital Getúlio Vargas, na Penha.

20 de março: 1 PC morto
O policial civil Luigi Luziete e a mãe dele foram baleados durante suposta tentativa de assalto no fim da noite, na Rua Rodrigo Ulisses de Carvalho, no bairro Adriana, em Campo Grande, na Zona Oeste. O policial reagiu e conseguiu atingir os dois bandidos, mas acabou sendo baleado quatro vezes. A mãe dele foi atingida por um tiro no rosto. Os dois foram levados para o Hospital Albert Schweitzer, em Realengo, na Zona Oeste, para onde também foram encaminhados os dois assaltantes – dois menores de 17 anos. O policial morreu, dois meses depois.

viatura-atacada2

26 de março: 1 PM morto
O cabo PM Marcelo Mafia Martins, 37 anos, lotado no 12º BPM (Niterói), morreu na Unidade Municipal de Urgência Mário Monteiro, localizado no bairro Cafubá, na Região Oceânica de Niterói, para onde foi levado após ter ser baleado em Itaipuaçu, distrito de Maricá. Ele estava de serviço e foi atingido por criminosos a quem perseguia. Os bandidos seguiam em uma moto sem placa pela Rua 14, na localidade São Bento da Lagoa, e não obedeceram à ordem para que parassem. O cabo havia acabado de sair da 82ª DP (Maricá), acompanhado pelo sargento Alberto, e seguia para patrulhamento na região após o registro de uma ocorrência. O corpo do PM, que servia no batalhão de Niterói há oito anos, foi enterrado no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap. Ele era casado e deixou dois filhos.

27 de março: 2 PMs mortos, 1 PC morto e 1 PM baleado
O sargento PM Alessandro da Rocha Rodrigues, conhecido como Pico, lotado no Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), o sargento PM reformado Jorge dos Santos, 61 anos, e o inspetor da Polícia Civil Laizo Leal Hill, lotado na 35ª DP (Campo Grande), morreram e o sargento PM Flávio, lotado no Regimento de Cavalaria Coronel Eny dos Santos (RCCES – antigo Regimento de Polícia Montada – RPMont), foi baleado durante atentado sofrido em frente à rodoviária de Campo Grande, na Zona Oeste do Rio.

27 de março: 1 PM baleado
Chefe do Serviço de Inteligência da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PM-2), o tenente-coronel PM Luís Carlos Leal Gomes, 46 anos, foi baleado quando saía da casa de parentes, na Quinta do Caju, na Zona Norte do Rio. Ele estava em um Gol vermelho, acompanhado pelo irmão, Cláudio Luís Leal Gomes, 44, que também foi atingido. Os dois foram socorridos e levados para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio. Atingido por quatro tiros, o oficial perdeu um rim mas não corre o risco de morrer.

30 de março: 1 PM baleado
O soldado Geovanis Falcão, lotado no Patrulhamento Tático Móvel (Patamo) do 7º BPM (São Gonçalo), foi baleado pelo traficante conhecido como Juninho Coroa, líder da localidade Ipuca, no Jardim Catarina Velho. O PM se aproximou do bandido para socorrê-lo, depois que este foi atingido durante confronto por um tiro que detonou as duas granadas que ele carregava na cintura. O policial foi atendido no Pronto Socorro de São Gonçalo (PSSG), no Zé Garoto, e liberado em seguida. O criminoso não resistiu aos ferimentos.

1º de abril: 1 PRF baleado
O policial rodoviário Lúcio Mauro Neves dos Santos, 37 anos, sofreu uma tentativa de assalto no estacionamento do Barra Shopping, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, por volta das 14h. O agente foi seguido por dois homens em uma moto que o abordaram assim que ele estacionou seu carro, depois de sacar R$ 3 mil em uma agência bancária localizada no Recreio dos Bandeirantes. A segurança do shopping acompanhou a vítima até o Hospital Municipal Lourenço Jorge, onde foi atendido e liberado logo sem seguida.

coronel-da-pm-morto-61

6 de abril: 1 PM morto
O coronel da Polícia Militar Francisco Spargoli Rocha, 62 anos, morreu ao tentar impedir assalto a uma loteria no bairro São Lourenço, em Niterói. O estabelecimento fica a poucos metros da residência do oficial, que estava na banca de jornal em frente e presenciou o crime. Ele reagiu e conseguiu balear um dos bandidos, que morreu no Hospital Estadual Azevedo Lima, no Fonseca. No entanto, foi atingido pelas costas por um dos comparsas do marginal.

8 de abril: 1 PM morto
O soldado da Polícia Militar Ivanilson Luiz da Silva Júnior, 28 anos, morreu ao ser atingido por um disparo acidental, durante ação de apoio a oficiais de Justiça que faziam a reintegração de posse de um terreno da Companhia de Águas e Esgotos (Cedae), na rua Figueira de Melo, em São Cristóvão, na Zona Norte do Rio. O tiro partiu de um fuzil do Grupamento de Ações Táticas (GAT) do 4º BPM (São Cristóvão), equipe à qual o PM pertencia. As armas estavam guardadas no porta-malas da viatura e uma delas disparou no momento em que um colega de farda do soldado tentava retirar um material usado em situações de tumulto. A bala atravessou a lataria da viatura e perfurou o colete do PM, que estava há quatro anos na corporação. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, mas não resistiu aos ferimentos. O corpo dele foi enterrado no Cemitério do Maruí, no Barreto, na Zona Norte de Niterói.

Cabo PM Eduardo Ribeiro da Silva, 34 anos

10 de abril: 1 PM morto
O cabo da Polícia Militar Eduardo Ribeiro da Silva, 34 anos, morreu no Hospital de Saracuruna, para onde foi levado após ser baleado em assalto sofrido na Rodovia Rio-Teresópolis, na altura de Imbariê, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Lotado no 6º BPM (Tijuca), o PM estava em seu Tempra quando foi abordado pelos criminosos, que o identificaram como policial quando viram sua farda no interior do veículo. Os bandidos lhe deram um tiro nas costas e fugiram em seu carro. O policial foi socorrido por policiais rodoviários, mas não resistiu aos ferimentos. O corpo do PM – que deixou esposa estava grávida de nove meses – foi enterrado no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap. Ele também era pai de uma menina de 10 anos e um menino de 12.

Cabo PM Eduardo Ribeiro da Silva, 34 anos

12 de abril: 1 PM morto
Lotado no Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BPVE), o cabo da Polícia Militar Alex Valadares, 35 anos, saía do serviço, na Linha Amarela, e seguia para casa, em Rocha Miranda, na Zona Norte do Rio, quando foi surpreendido por criminosos que tentaram roubar o Astra que ele dirigia. A tentativa de assalto ocorreu na altura de Deodoro, por volta das 6h30. O PM reagiu e na troca de tiro acabou sendo baleado. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, mas não resistiu.

12 de abril: 1 PM baleado
Lotado no 32º BPM (Macaé), o soldado da Polícia Militar Nelson Luís Pinto de Aguiar, 32 anos, foi baleado ao reagir a um assalto na esquina das ruas Laranjeiras e Maracanã, em Rio das Ostras, na Região dos Lagos. O PM foi abordado por dois criminosos em uma moto. Houve troca de tiros e o policial foi atingido. Os bandidos fugiram levando a mochila e o celular do PM. O soldado foi socorrido e levado para o Hospital Municipal de Rio das Ostras, no bairro Parque Zabulão, sendo posteriormente transferido para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

18 de abril: 1 PM morto
Lotado no 23º BPM (Leblon), o soldado da Polícia Militar Weslei de Oliveira Batista, 30 anos, foi encontrado baleado em um terreno baldio, na Rua Oliveira Ribeiro, em Bangu, na Zona Norte do Rio. Ele foi retirado de casa, na Rua Bom Sossego, no mesmo bairro, por homens armados que o levaram em seu carro. O veículo foi encontrado com marcas de tiros próximo à Favela Vila Vintém, em Padre Miguel. Atingido por cinco tiros, o PM ainda foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Albert Schweitzer, mas não resistiu aos ferimentos.

viatura-atacada

19 de abril: 1 PM morto
Lotado no 19º BPM (Copacabana), o soldado da Polícia Militar Júlio César Dias Rosa foi morto ao reagir a um assalto na Rua Doutor Brasil Valério, na localidade de Venda Velha, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Dois homens renderam o PM, que estava em um Ômega. Eles anunciaram o assalto, mas o policial reagiu e acabou baleado. Os bandidos fugiram com o veículo dele.

22 de abril: 1 PM morto
Lotado no 9º BPM (Rocha Miranda), o sargento Edson dos Santos Carvalho foi baleado dentro da estação ferroviária de Honório Gurgel, na Zona Norte do Rio, enquanto esperava o trem. Testemunhas revelaram que dois homens atiraram contra o PM e fugiram levando uma pistola e um revólver. O policial chegou a ser levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, mas não resistiu.

22 de abril: 1 PM baleado
O policial militar reformado Paulo Roberto Silva foi baleado no início da manhã ao reagir a uma tentativa de assalto na Avenida Brasil, altura de Cordovil, na Zona Norte do Rio. Ele fazia segurança de um caminhão de carga quando três homens armados, que estavam em um Chevette preto, abordaram o veículo. Houve troca de tiros e os bandidos desistiram do assalto. Ferido no abdômen, o PM foi levado para o Hospital Getúlio Vargas, na Penha.

Policia

23 de abril: 1 PM baleado
Lotado no 6º BPM (Tijuca), o soldado Luciano Fernandes foi vítima de bala perdida, durante um tiroteio entre criminosos e policiais militares do 4º BPM (São Cristóvão) lotados no Posto de Policiamento Comunitário (PPC) na entrada da Favela Buraco Quente, no Complexo da Mangueira, em São Cristóvão, na Zona Norte do Rio. O taxista Yacemir de Oliveira Fernandes também foi baleado. O crime ocorreu na Rua Visconde de Niterói, onde ocupantes de um Honda Civic preto sem placa passaram atirando contra o PPC e um bar. Os PMs revidaram e houve confronto. O soldado ferido foi atingido por dois tiros: sendo um na coxa e outro na panturilha. Ele e o taxista foram socorridos e levados para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro do Rio.

23 de Abril: 1 PM morto
O cabo da Polícia Militar André Oliveira, lotado no Serviço de Inteligência (P-2) do Regimento de Cavalaria Coronel Enyr Cony dos Santos (RCCECS), morreu ao ser baleado diversas vezes na porta de casa, na localidade Santa Rosa, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio. Uma pessoa que passava foi atingida por bala perdida: Anderson Alvarenga, 33 anos. E outras duas foram feridas por estilhaços: Helena Maria, 57, e Maurina de Andrade, 59. O PM e Anderson foram socorridos e levados para o Hospital Estadual Rocha Faria, em Campo Grande, onde o policial morreu. As duas mulheres foram medicadas na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), sendo posteriormente encaminhadas também ao hospital, e liberadas depois. Apontado como sócio do sargento Rambo, o cabo Oliveira teria assumido todas as seguranças da região e seria integrante da milícia conhecida como Liga da Justiça. Ele seria amigo do ex-PM Luciano Guinâncio, filho de Jerônimo Guimarães, o Jerominho.

25 de abril: 1 PM morto
O sargento reformado da Polícia Militar Eli Peixoto Azevedo, 51 anos, morreu após tentar evitar um assalto ao supermercado Unidos, localizado na Avenida Copacabana, no bairro Jardim Íris, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. O PM estava no mercado quando o local foi invadido por quatro homens armados, que anunciaram o roubo. O sargento sacou sua arma e trocou tiros com os ladrões. Baleado, ele morreu no posto de atendimento médico Meriti. Os bandidos fugiram com uma quantia roubada do supermercado. O valor não foi divulgado.

27 de abril: 1 PM baleado
O cabo da Polícia Militar Evandro Motta da Conceição, lotado no 21º BPM (São João de Meriti) foi baleado no bairro Senhor do Bonfim, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, durante uma tentativa de assalto. O PM estava perto de casa, por volta das 21h, quando três suspeitos em um carro se aproximaram para roubá-lo. Ele reagiu e foi atingido no tórax e na coxa esquerda. O policial foi socorrido e levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio. O caso foi registrado na 59ª DP (Duque de Caxias).

29 de abril: 1 PM morto
Lotado no Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), o cabo Jayme Carvalho da Costa, 33 anos, foi baleado por volta da meia-noite, quando passava com sua moto Falcon pela Travessa Vaz da Costa, que dá acesso ao Morro do Engenho, em Inhaúma, na Zona Norte do Rio. O PM foi atingido por pelo menos oito tiros e nada foi levado dele. Testemunhas contaram que o cabo estava em um churrasco quando recebeu o telefonema de uma mulher e saiu ao seu encontro. Ele chegou a ser socorrido e levado para o Hospital Salgado Filho, no Méier, mas não resistiu. O caso foi registrado na 44ªDP (Inhaúma).

Policia

1º de maio: 1 PM morto e 1 PM baleado
Lotados no Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BPVE), o cabo Sandro José da Silva, 36 anos, e o soldado Rafael Douglas Santiago foram alvos de traficantes da Favela Vila Vintém, em Padre Miguel, na Zona Oeste do Rio, por volta das 4 horas. Eles estavam na viatura que fica baseada no sentido Centro da Avenida Brasil, nas proximidades do posto Vagão, em Realengo – ponto fixo de policiamento. Os policiais foram surpreendidos pelos criminosos, que chegaram a pé – vindo de uma rua atrás da via expressa. Os PMs foram levados para o Hospital Estadual Alberto Schweitzer, em Realengo, mas Sandro – atingido na barriga – não resistiu aos ferimentos. O soldado Douglas foi baleado na mão.

1º de Maio: 1 PM baleado
O PM reformado Vanderson Teixeira Godinho, 36 anos, e sua mulher, Eliana Lobo do Carmo, 46, foram baleados em uma van, por volta das 21h40. Eles trafegavam pela Rua Augusto de Vasconcelos, no Centro de Campo Grande, na Zona Oeste do Rio, quando cinco homens anunciaram um assalto no interior do veículo. Os criminosos teriam ficado irritados porque o casal estava com pouco dinheiro. Os dois levaram tiros no tórax e foram socorridos para o Hospital Estadual Rocha Faria, em Campo Grande. Os bandidos fugiram.

2 de Maio: 1 PM baleado
Lotado no 1º BPM (Estácio), o sargento Paulo Roberto Lino dos Passos, levou quatro tiros por volta de 1h, quando bandidos tentaram roubar o seu carro, em Vilar dos Teles, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. O PM voltava de uma festa com a mulher e o filho, que nada sofreram. Os criminosos fugiram e o policial foi socorrido por populares para o Posto de Atendimento Médico de São João de Meriti. Posteriormente, ele foi transferido para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

4 de maio: 1 PM morto
Lotado no 32º BPM (Macaé), o cabo Carlos Jorge Silva Ramos, 31 anos, foi morto, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, no início da madrugada. De acordo com informações do 21º BPM (São João de Meriti), o PM estava com uma mulher no Vectra placa KWF 1430, quando foi abordado por homens armados que estavam em um carro de cor escura, na Rua Souza Neves, bairro Coelho da Rocha, pouco depois da meia-noite. O policial reagiu e houve troca de tiros. O cabo ainda foi socorrido e levado para o Posto de Atendimento Médico (PAM) de Jardim Meriti, mas não resistiu aos ferimentos. Os bandidos conseguiram fugir. O caso será investigado pela 64ª DP (Vilar dos Teles).

4 de Maio: 1 PM morto
Lotado na Diretoria de Inativos e Pensionistas (DIP), o sargento da Reserva Remunerada Paulo Maurício e Silva, 63 anos, morreu ao ser atingido por disparos efetuados por um criminoso que se aproximou do bar onde o PM estava, na Rua Cariranha, no bairro Mallet, próximo à Lona Cultural, por volta das 2 horas. Outra duas pessoas também foram baleadas: Anselmo Bispo e Ana Cláudia Ribeiro Barreto, ambos de 40. O PM e Ana Cláudia chegaram a ser socorridos pelos bombeiros e levados para o Hospital Estadual Albert Schweitzer, em Realengo, mas não resistiram. A outra vítima morreu no local.

5 de Maio: 1 PM morto
O policial militar apontado como principal matador da milícia Comando Chico Bala foi executado com pelo menos 20 tiros de fuzil no trecho Rio-Santos da BR-101, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio, no início da manhã. O soldado André Lixa do Nascimento, 31 anos, havia saído do 27º BPM (Santa Cruz) – onde era lotado há cerca de oito anos – dez minutos antes.

8 de Maio: 1 PM morto
Lotado no 25º BPM (Cabo Frio), o cabo Cláudio Fernando Mosqueira, 32 anos, morreu em Belo Horizonte, capital de Minas Gerais, no início da noite. Ele tinha ido à cidade para passar o Dia das Mães. O PM estava dentro de seu veículo – a Parati placa KRD 1446 – na porta da casa de uma prima, na Rua Geraldo Jacob, no bairro Santa Mônica, quando três homens se aproximaram do automóvel. Os criminosos atiraram na direção do carro e um dos tiros atingiu a cabeça do policial. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Risoleta Tolentino Neves, no bairro Laranjeiras, mas não resistiu.

21 DP - Parque Uniao4- Júlio Almeida

9 de Maio: 1 PM morto e 2 PMs baleados
Lotado no 22º BPM (Benfica), o sargento Ângelo de Oliveira Júnior, 44 anos, morreu no Hospital Geral de Bonsucesso, no bairro de mesmo nome, na Zona Norte do Rio, após ser baleado por traficantes da Favela Parque União, no Complexo da Maré. O PM realizava patrulhamento na localidade quando foi surpreendido pelos criminosos, no início da manhã. A informação é de que eles procuravam o dono de um cassino clandestino descoberto por policiais civis no dia anterior. Um dos filhos do sargento faz aniversário na data de morte dele.

Policia

Houve confronto e no tiroteio outras quatro pessoas ficaram feridas. Elas estavam em uma Kombi que trafegava pelo local. Os passageiros foram identificados como sendo: Rosivalda de Lima, 34, atingida no rosto por um tiro de raspão; Emília Lima da Silva, 31, baleada na perna esquerda; Márcia da Glória Costa, 42, baleada de raspão na perna esquerda; e Orlando oliveira Araújo, 50, atingido por um tiro na perna direita. Já na parte da tarde, outros dois PMs foram baleados no local. Eles participavam do reforço no policiamento para que peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) pudessem realizar a perícia.

Policia

10 de Maio: 1 PC baleado
Lotado na Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), o policial civil Antônio Carlos de Andrade Costa, 53 anos, foi baleado, por volta das 16h30, na Rua Moreira de Azevedo, em Cascadura. O agente foi abordado por quatro bandidos que estavam em um Mitsubish. Ao perceberem que Antônio – que estava acompanhado pela mulher – tinha uma pistola, eles atiraram. O policial levou mais de 10 tiros e foi levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier. A mulher dele ficou em estado de choque. Os bandidos conseguiram fugir, levando a arma dele.

12 de Maio: 1 PC baleado
O inspetor Wagner Rodrigues de Oliveira, conhecido como Waguinho da Escuta, 44 anos, foi atingido por um disparo no abdômen e outro no tórax durante incursão no Complexo de Manguinhos, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. Lotado na Divisão de Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA), ele foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Bonsucesso. O policial sofreu lesões no fígado e foi submetido a uma cirurgia.

13 de Maio: 1 PM morto e 1 PM baleado
Lotado no 18º BPM (Jacarepaguá), o soldado Gledson Ferreira Palmares, 33 anos, morreu ao trocar tiros com outro policial militar. O incidente ocorreu na Estrada dos Bandeirantes, no Largo de Curicica, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio, durante uma discussão entre os dois PMs. Os dois foram socorridos e levados para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, mas o soldado não resistiu aos ferimentos. O outro PM, Franklin Delano Roosevelt Maia Júnior, lotado no Setor de Operações de Rádio, levou tiro de raspão na barriga e no dedo polegar esquerdo. Segundo investigadores da 32ª DP (Taquara), ele já esteve preso, acusado da morte de um agente penitenciário, no ano passado. A briga teria começado por causa de uma discussão motivada por uma mulher.

14 de Maio: 1 PM baleado
O coronel da reserva Alídio Afonso de Oliveira Bastos Neto, 66 anos, foi baleado ao reagir a uma tentativa de assalto no Méier, Zona Norte do Rio. Ele dirigia um Pólo prata na Rua Silva Rabelo e estava acompanhado por sua mulher, quando foi abordado por dois homens armados, por volta das 20h. O oficial reagiu e os criminosos atiraram. Na troca de tiros, o PM foi baleado no ombro e atingido por estilhaços no abdômen. Os criminosos fugiram sem levar nada. A vítima foi levada para o Hospital Pasteur, no Méier.

16 de Maio: 1 PM baleado
Lotado na 1ª Cpmpanhia Independente de Polícia Militar (1ª CIPM), no Palácio Guanabara, o soldado Wellington da Silva Marinho, conhecido como Brau, 34 anos, foi baleado ao trocar tiros com dois homens que invadiram sua casa, na Rua Elídio Rodrigues Pinto, no bairro Arsenal, em São Gonçalo, por volta das 6 horas. Atingido no pescoço e no ombro, o PM foi levado para o Hospital Estadual Alberto Torres – mais conhecido como Hospital Geral de São Gonçalo – no Colubandê e, posteriormente, transferido para o Hospital da Polícia Militar, em Santa Rosa, em Niterói. Os dois invasores, que foram identificados como Edson Bernardo dos Santos, 22, e Luiz Cláudio Almeida Ramos, 37, morreram no local.

16 de Maio: 1 PC morto
O policial civil Renato Lopes Emanuel, 36 anos, morreu após ser baleado durante uma tentativa de assalto, na Praça do Carmo, na Vila da Penha, Zona Norte do Rio, no início da manhã. Lotado na Delegacia de Defraudações (DDEF), o agente foi abordado por dois motociclistas ao deixar uma agência do banco Itaú, localizada na Rua Vicente de Carvalho.

16 de Maio: 2 PMs baleados
Dois policiais militares lotados no 22º BPM (Benfica) foram baleados na Avenida Brigadeiro Trompowsky, na entrada da Ilha do Governador, na localidade conhecida como Sem Terra, na favela Parque União, na Zona Norte. Os PMs realizavam patrulhamento de rotina no local e teriam sido alvos de traficantes do Complexo da Maré.

18 de Maio: 1 PM baleado
Um policial militar lotado no 13º BPM (Praça Tiradentes) foi baleado ao reagir a assalto no interior de um ônibus da viação Braso Lisboa que fazia a linha 472 (Leme-Triagem). O incidente ocorreu quando o veículo trafegava pela Avenida Presidente Wilson, no Centro do Rio. O PM foi socorrido e levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, e liberado após receber atendimento. Os dois assaltantes, também atingidos por tiros, foram presos e identificados como Wiliam Conceição Castanheira e Maicon Trindade de Oliveira, ambos de 28 anos. Enquanto o primeiro – baleado na coxa – já tinha cinco anotações por assalto a mão armada, o segundo – atingido na mão – já havia sido preso em flagrante outras 11 vezes. A maior parte delas, também por assalto a mão armada. O registro foi feito na 5ª DP (Gomes Freire).

19 de Maio: 1 PM morto
O corpo do sargento reformado da Polícia Militar, Jorge Luiz Pinheiro Siqueira, 54 anos, foi encontrado em uma galeria pluvial localizada na Avenida Cezário de Melo, na localidade Inhoaíba, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio. O policial estava desaparecido desde segunda-feira e a perícia não foi capaz de determinar se ele havia sido vítima de um mal súbito ou de um homicídio. Somente o laudo do Instituto Médico Legal (IML) poderá determinar a causa da morte do sargento.

20 de Maio: 2 PMs mortos
Os cabos Gilder Dutra da Silva e Luiz Antônio Brasil foram baleados enquanto conversavam no interior de um Gol cinza, na Rua General Olímpio, na localidade Jaqueira, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio. O primeiro, que era lotado no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, morreu no local. O segundo, que era lotado no Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BPVE), ainda foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Pedro II, mas também não resistiu aos ferimentos. Os criminosos estavam encapuzados e chegaram em um veículo de marca, placa e modelo não anotados.

23 de Maio: 1 PM morto
O sargento reformado Jorge Jesus da Silva, 57 anos, morreu no Pronto Socorro de São Gonçalo (PSSG), no Zé Garoto, após ser baleado ao tentar impedir um assalto na Travessa Manoel Braga, no Centro de São Gonçalo. Ele presenciou o momento em que quatro criminosos tentavam roubar a bolsa de Ana Paula Silva Pinto, e sacou sua arma. Ao gritar para que os bandidos se rendessem, acabou sendo atingido. Os assaltantes fugiram levando a bolsa da vítima e a arma do PM.

Policia

24 de Maio: 1 PM morto
Lotado na Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM) Cães, o cabo Wallace Pereira Guimarães, 36 anos, havia saído de serviço, na unidade localizada em Olaria, na Zona Norte do Rio, e chegava em casa, no bairro Camarão, quando foi abordado por criminosos. Ele pilotava sua moto Honda Twister 250cc e foi surpreendido na Travessa Jurema, pouco depois das 9 horas. O PM teria tentado reagir, mas ao sacar a pistola, o carregador da mesma teria ficado presa na alça da mochila que ele carregava nas costas. O policial morreu no local e os bandidos fugiram sem levar nada.

29 de Maio: 1 PC baleada
Uma inspetora da Polícia Civil foi baleada ao reagir a assalto em Itaipu, na Região Oceânica de Niterói. Ela estava em seu Ford Fiesta, acompanhada por uma sobrinha de 17 anos, e chegava em sua residência, no final da noite, quando foi abordada pelos criminosos. Ela reagiu e na troca de tiros acabou atingida no braço. Após receber atendimento médico em uma clínica particular, ela recebeu alta. Os bandidos fugiram sem levar nada.

31 de Maio: 1 PM morto
Lotado no 22º BPM (Benfica), o soldado Cláudio Rogério de Santana Marques morreu após ser baleado durante confronto com traficantes da Favela Vila dos Pinheiros, no Complexo da Maré, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. O PM ainda foi socorrido e levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, mas não resistiu aos ferimentos.

3 de Junho: 1 PC morto
Lotado na Divisão de Capturas e Polícia Interestadual (DC-Polinter), Edson Faustino de Moura, 51 anos, foi assassinado com vários tiros na Rua Alagoas, no bairro Caioaba, no município de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Ele estava em seu veículo – o Celta Preto LKW-6312 – e foi atingido na cabeça e no peito. No local foram encontradas cápsulas de pistolas nove milímetros e também de calibre 40. Morador de Mesquita, o policial se dirigia ao seu depósito de gás quando foi seguido por cerca de sete homens que estavam em dois carros de modelos e placas não anotados. Ele ainda conseguiu sair de seu automóvel e trocar tiros com os assassinos, mas foi atingido por pelo menos 30 disparos, segundo peritos que estiveram no local do crime. O policial foi candidato a vereador pelo Partido dos Trabalhadores (PT), mesmo partido do prefeito de Nova Iguaçu, Lindberg Farias, na eleição passada. Mas, segundo a direção do PT de município, ele teve o registro negado porque não apresentou documentação de desincompatibilização de servidor público ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), que estabelece prazo mínimo de seis meses antes das eleições.

11 de Junho: 2 PMs mortos
Lotados no 22º BPM (Benfica), o tenente Alexandre Alves de Lima, 31 anos, e o sargento Ítalo Petrúcio da Silva Leal, 38, morreram após troca de tiros entre traficantes ligados à facção criminosa Amigos dos Amigos (ADA) que tentam retomar o controle da Favela Vila dos Pinheiros, no Complexo da Maré, em Bonsucesso. A região está em guerra desde que criminosos do Terceiro Comando Puro (TCP) que dominam as bocas-de-fumo da Favela Baixa do Sapateiro, também no Complexo da Maré, assumiram o tráfico na localidade. Além dos dois PMs, cinco bandidos também morreram na troca de tiros.

13 de Junho: 1 PM baleado
Lotado no 22º BPM (Benfica), o cabo Arthur Furtado Batista Barreto, 33 anos, foi baleado ao trocar tiros com assaltantes, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. O PM saía a pé de sua casa quando foi abordado por dois homens em uma moto que anunciaram o assalto. O policial reagiu e acabou baleado no ombro. Os criminosos fugiram com a bolsa do PM, que foi socorrido e levado para a Unidade Mista do Lote XV, sendo liberado após receber atendimento médico.

13 de Junho: 1 PM baleado
Lotado no 27º BPM (Santa Cruz), o soldado Fábio Andrade, 26 anos, foi baleado na perna durante confronto com traficantes ligados à facção Comando Vermelho (CV) que controlam a venda de drogas na Favela do Cesarão, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio. No tiroteio, o traficante Fábio Venâncio, o SD, 25 anos, também foi atingido. Ele e o PM foram socorridos e levados para o Hospital Estadual Pedro II, em Santa Cruz. O criminoso não resistiu.

15 de Junho: 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BPVE), o soldado Carlos Vinícius Amaro foi baleado no trecho Niterói-Manilha da BR-101, na altura de Neves, em São Gonçalo, por volta das 5h30. O PM disse que dirigia uma kombi, no sentido Rio da rodovia, quando um homem teria emparelhado o carro que dirigia e efetuado um disparo contra ele. Atingido na mão esquerda, ele foi atendido no Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

23 de Junho: 1 PM morto
Lotado no 5º BPM (Praça Harmonia), o sargento Marcelo Rodrigues, 43 anos, morreu ao tentar impedir um assalto, na Avenida Brasil, na altura de Coelho Neto, na Zona Norte do Rio. O PM estava em um bar quando avistou um grupo de homens abandonando um Peugeot roubado. Os criminosos renderam o motorista de um Renault e fugiram no carro, sendo perseguidos pelo policial. Na troca de tiros, o Sargento foi baleado na cabeça. Ele morreu ao dar entrada no Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes. Os bandidos conseguiram fugir.

26 de Junho: 1 PM morto
Lotado no Serviço de Inteligência (P-2) do 23º BPM (Leblon), o soldado Elias Silva Júnior, 29 anos, foi atingido por traficantes ligados à facção criminosa Amigos dos Amigos (ADA) durante incursão no Morro do Vidigal, em São Conrado, na Zona Sul do Rio, no início da manhã. Ele é o 14º PM morto em serviço, somente nos seis primeiros meses deste ano.

27 de Junho: 1 PM baleado
Lotado no 3º BPM (Méier), o soldado PM Anderson Correia foi baleado por assaltantes que tentaram levar seu carro, na esquina das ruas 24 de Maio e Lins de Vasconcelos, no Méier, na Zona Norte do Rio. O PM foi rendido por bandidos que exigiram as chaves de seu carro. Ele reagiu e acabou baleado no abdômen. Socorrido e levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, ele permania internado em estado grave, até at arde de sábado. Os bandidos não conseguiram levar o veículo.

_MG_5831

1º de Julho: 1 PM morto e 1 PM baleado
Lotados no 39º BPM (Belford Roxo), o cabo Maurício Manoel Maia e o soldado Saulo de Brito Lira foram baleados durante incursão na Favela Gogó da Ema, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. Os PMs realizavam incursão na localidade quando foram atingidos, na Rua Anadéia. O cabo, atingido na cabeça, morreu no local. O soldado, baleado na perna, foi socorrido e levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

3 de Julho: 2 PMs baleados
Lotados no 16º BPM (Olaria), dois policiais militares foram baleados durante confronto com traficantes da facção criminosa Comando Vermelho (CV) que controlam a venda de drogas na Favela Vila Ipiranga, no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. O confronto teve início na Avenida Brás de Pina, quando os PMs se depararam com um comboio de quatro carros ocupados por criminosos. Na troca de tiros, um dos veículos explodiu. Cinco bandidos morreram e um ficou ferido, além de Fátima Regina Miranda, 46 anos, que passava pela rua no momento do tiroteio e acabou sendo atingida por uma bala perdida.

3 de Julho: 1 PC baleado
Lotado na Delegacia de Combate às Drogas (DCOD), Nilson Vieira de Souza foi baleado no tórax e no rosto quando assaltantes tentaram roubar seu carro, um Citroen prata, na Rua Silva Vale, em Tomás Coelho, na Zona Norte do Rio. Os criminosos fugiram e o policial foi levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, na Zona Norte.

5 de Julho: 1 PM morto
Lotado no 17º BPM (São Cristóvão), o tenente Luís Gustavo Gomes da Silva, foi assassinado a tiros pelo sargento do Corpo de Bombeiros Isac do Nascimento e Silva, após uma briga. Os dois estavam de folga e se encontraram em um trailer, no Lote 15, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, quando houve a discussão. Eles acabaram se agredindo até que o sargento sacou a arma e matou o oficial. O bombeiro foi preso e levado para a 54ª DP (Belford Roxo), onde foi autuado em flagrante, sendo posteriormente transferido sob escolta para o Presídio Militar do Corpo de Bombeiros – o Grupamento Prisional Especial – em São Cristóvão.

10 de Julho: 1 PM morto
Lotado no Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), o cabo Ênio Roberto Santiago Dantas levou um tiro na nuca e outro no ombro, ao tentar impedir um roubo de carro, no Largo da Segunda-feira, na Tijuca, na Zona Norte do Rio. A ação foi na Rua São Francisco Xavier, esquina com Rua Conde de Bonfim. O PM é motorista do tenente-coronel Alberto Pinheiro Neto, que é o principal assessor do atual comandante-geral da PMERJ, coronel Mário Sérgio de Brito Duarte. O cabo Ênio aguardava o oficial em um carro descaracterizado do Bope, quando viu um casal em um Gol preto sendo assaltando por dois homens no sinal. Ele reagiu à ação dos bandidos, mas acabou sendo baleado por comparsas dos criminosos. O PM permaneceu internado em estado grave no Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro, e morreu no início da tarde de sábado.

11 de Julho: 1 PM baleado
Lotado no Policiamento Comunitário do 12º BPM (Niterói), o soldado Alex Carneiro da Silva, 30 anos, foi baleado durante confronto na Favela do Caniçal, no bairro Cafubá, na Região Oceânica de Niterói. Ele foi salvo pelo colete à prova de balas, que conteve o tiro de pistola calibre 45 disparado contra seu abdômen. Na ação, um criminoso foi baleado e outro foi preso. Com eles, os PMs apreenderam um revólver calibre 38, 95 sacolés de cocaína e 43 pedras de crack, além de R$ 70 em espécie. Uma hora após o confronto, Uma hora após o confronto, Luís Otávio Rodrigues da Alves, 28, deu entrada na Unidade Municipal de Saúde Mário Monteiro, em Piratininga, também na Região Oceânica, e reconhecido pelo PM como autor do disparo.

11 de Julho: 1 PM morto
Lotado na Diretoria Geral de Pessoal (DGP), o sargento Eduardo Albuquerque Ferreira morreu ao ser identificado como policial militar durante um assalto na esquina das ruas Cardoso de Moraes e Emílio Zaluar, em Ramos, na Zona Norte do Rio. O PM estava folga e bebia em um bar quando um grupo de bandidos anunciou o assalto. Ele foi revistado pelos criminosos, que efetuaram disparos ao encontrar sua arma. O PM ainda foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Bonsucesso, mas não resistiu aos ferimentos.

12 de Julho: 1 PM baleado
O sargento reformado da Polícia Militar Luís Carlos da Silva Gomes foi baleado de raspão no braço, durante uma tentativa de assalto em Cascadura, na Zona Norte do Rio. O PM passava de carro pela Praça Cidônio quando foi rendido por um bandido armado com pistola. Ele reagiu e conseguiu balear o assaltante, que morreu no local, mas também acabou atingido de raspão no braço direito. Socorrido e levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, o sargento foi liberado após receber atendimento médico.

19 de Julho: 1 PM baleado
Lotado no 14º BPM (Bangu), o soldado Fabiano Roger Oliveira Machado, 30 anos, foi baleado durante confronto na Estrada do Viegas, próximo à Favela do Sossego, em Senador Camará, na Zona Oeste do Rio. Atingido de raspão na perna direita, ele foi socorrido e liberado após receber atendimento médico.

2909FG4

22 de Julho: 1 PC baleado
O policial civil Luiz carlos Ribeiro Rodrigues, 50 anos, foi baleado o ombro esquerdo quando passava pela Rua Santana de Ipanema, em Padre Miguel, na Zona Oeste do Rio.

29 de Julho: 1 PM morto
Lotado no 20º BPM (Mesquita), o sub-tenente Alberto da Silva Souza, 44 anos, morreu após reagir a tentativa de assalto na Avenida Marechal Alencastro, em Anchieta, na Zona Norte do Rio. O PM ainda foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Juscelino Kubitschek, em Nilópolis, mas não resistiu aos ferimentos.

30 de Julho: 1 PM baleado
Lotado no Patrulhamento Tático Móvel (Patamo) do 7º BPM (São Gonçalo), o cabo Oliveira foi baleado na boca durante confronto com traficantes ligados da facção criminosa Comando Vermelho (CV) que controlam a venda de drogas no Morro Menino de Deus, no Rocha, em São Gonçalo.

07 de Agosto: 1 PM morto
Lotado no 12º BPM (Niterói), o cabo Luís Henrique dos Santos Duarte, conhecido como Buballo, 38 anos, foi assassinado com pelo menos 12 tiros, no bairro Pacheco, em São Gonçalo. O PM havia acabado de deixar o serviço, na guarda do batalhão de Niterói, quando foi abordado por ocupantes de dois carros – um Santana e um Palio – na Estrada São Pedro, a apenas 200 metros de distância da sua residência. Os bandidos cercaram o veículo da vítima – o Corsa verde placa LAC-2969 – e efetuaram mais de 20 disparos de grosso calibre contra o automóvel. O cabo, que estava fardado, não conseguiu reagir à investida dos criminosos, que fugiram após roubar a arma dele. O PM chegou a ser socorrido por policiais do 7º BPM (São Gonçalo) e encaminhado ao Hospital Estadual Alberto Torres (Heat), no Colubandê, mas não resistiu aos ferimentos.

11 de Agosto: 1 PM baleado
Lotado no 3º BPM (Méier), o cabo Maurício da Silva, 39 anos, foi baleado ao reagir a um assalto quando saía de uma farmácia, na Rua Luiz Coutinho Cavalcanti, em Marechal Hermes, na Zona Oeste do Rio. Ele foi atingido por cinco tiros – no abdômen, no rosto e na perna esquerda. O PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas.

16 de Agosto: 1 PM morto
Lotado no Grupamento Tático de Motociclistas (GTM) do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), o sargento Anderson Correa da Silva, 52 anos, morreu ao ser reconhecido por criminosos durante um assalto na Rodovia Washington Luís (BR-040), no acesso à Linha Vermelha, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

26 de Agosto: 1 PM morto
Lotado no 33º BPM (Angra dos Reis), o cabo Anderson Neves, 34 anos, foi executado com mais de 10 tiros de fuzil e pistola calibre 380, em frente à sua casa na Rua Santa Bárbara, no bairro Japuíba. Ele estava dentro de seu EcoSport. O crime ocorreu por volta das 20h e foi praticado por três homens que estavam em um Fiesta prata, placa não anotada.

29 de Agosto: 1 PM morto
Lotado no Departamento Geral de Pessoal (DGP), o cabo Aluísio André de Paula morreu no Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, para onde foi levado após ter sido baleado na Rua Capitão Cruz, em Cordovil, na Zona Norte do Rio.

29 de Agosto: 5 PMs baleados
Lotados no 9º BPM (Rocha Miranda), cinco policiais militares foram baleados durante guerra entre traficantes das facções criminosas Comando Vermelho (CV) e Terceiro Comando Puro (TCP) que disputam o controle das bocas-de-fumo do Morro do Juramento, em Vicente de Carvalho, na Zona Norte do Rio. Os PMs foram socorridos e levados para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier. O cabo Valdecir Cordeiro de Jesus foi atingido no pé; o soldado Gustavo Ribeiro Meirelles levou um tiro na boca, foi operado e inspira cuidados; o soldado Delmo de Arruda da Costa Lima, baleado na cabeça, foi operado e está em estado grave; o soldado Gustavo Melo foi atingido na mão e na nuca de raspão, mas não precisou de cirurgia; e o soldado Luciano Lopes Machado de Oliveira, ferido nas nádegas, foi liberado pelos médicos após atendimento na emergência.

Polícia

30 de Agosto: 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BPVE), o soldado Leonardo Simões Cristino, 27 anos, foi baleado no rosto durante troca de tiros com criminosos que estavam praticando assaltos na Avenida Brasil, na altura da Fazenda Botafogo – na divisa entre Acari, Barros Filho e Costa Barros – na Zona Norte do Rio. O PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Albert Schweitzer, em Realengo, e posteriormente transferido para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, onde permanece internado em estado grave.

3 de Setembro: 1 PM baleado
Lotado na 4ª Cia (Maricá) do 12º BPM (Niterói), o cabo Sérgio Nogueira da Silva, 33 anos, foi baleado nas proximidades do Morro do Bernardino, no Fonseca, na Zona Norte de Niterói. Ele estava dentro da viatura e fazia parte de diligência que realizaria uma operação no local. Houve confronto e três bandidos morreram. Um foi preso.

4 de Setembro: 1 PM morto
Lotado no 27º BPM (Santa Cruz), o sargento Manoel Antônio da Silva, 44 anos, morreu ao tentar impedir um assalto a uma loteria, na Estrada do Pedregulho, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio. O PM saía do supermercado existente ao lado da lotérica quando percebeu o crime e tentou intervir, sendo surpreendido por comparsas dos assaltantes e baleado nas costas. O sargento chegou a ser socorrido e levado para o Hospital Estadual Rocha Faria, mas não resistiu aos ferimentos. Os criminosos fugiram levando a pistola do PM e R$ 4 mil da loteria.

5 de Setembro: 1 PM morto
Lotado no 31º BPM (Recreio dos Bandeirantes), o soldado Felipe Lima, 24 anos, foi assassinado no encontro das ruas Siqueira Campos e Figueiredo Magalhães, em Copacabana, na Zona Sul do Rio. O PM estava no interior de seu automóvel – um Mercedes Classe A – aguardando por um amigo, quando foi surpreendido pelo criminoso. Ele foi baleado no rosto e no peito.

8 de Setembro: 1 PM morto
Lotado no Regimento Coronel Enyr Cony dos Santos (RCECS), o soldado Wanderson Medeiros de Souza, 30 anos, morreu ao reagir a uma tentativa de assalto no momento em que saía de sua casa, na Rua Guaraciara, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio. Apesar de ter sido baleado no peito e na cabeça, o PM ainda conseguiu atingir um dos criminosos, identificado como Jeferson Andrade da Conceição, 19. Ele fugiu de ônibus, mas foi preso pouco após o crime, por uma equipe do mesmo batalhão onde a vítima trabalhava. Outros dois suspeitos, identificados como Israel Diniz Damásio, 23, e Wiliam Guimarães, 21, fugiram em um Zafira cinza roubado. Este último Wiliam também foi preso, por agentes do Serviço Reservado (P-2) do 14º BPM (Bangu) e do 27º BPM (Santa Cruz), na Favela Vila Kennedy. O Zafira roubado foi recuperado.

10 de Setembro: 1 PM baleado
Lotado no 14º BPM (Bangu), o cabo De Freitas foi baleado no peito durante confronto com traficantes na localidade Antenas, na Favela Gogó da Ema, em Guadalupe, na Zona Oeste do Rio. Atingido por um tiro de submetralhadora nove milímetros, o PM foi salvo pelo colete à prova de balas. O criminoso com quem ele trocou tiros também foi baleado e não resistiu ao ferimento.

11 de Setembro: 1 PM morto
Lotado no Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), o cabo Leslie Luís Pinheiro, 36 anos, foi morto pelo também cabo da Polícia Militar Leandro Marques Pereira, lotado no Grupamento Especial Penitenciário (GEP), no Complexo de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste do Rio. O crime ocorreu dentro de uma loja de material de construção em Santa Cruz, também na Zona Oeste, onde o cabo do Bope havia ido para comprar parafusos. O assassino estava acompanhado pelo agente penitenciário aposentado Rubens de Souza Lisboa e fazia a segurança de uma van que descarregava cigarros em um estabelecimento localizado na Rua Silon Cunha Bueno, na localidade Urucânia. Eles acompanharam a van até a Avenida Brasil, mas, desconfiados do volume nas costas do cabo, voltaram ao local. O cabo Leandro teria surpreendido Leslie por trás, gritando ‘Perdeu, perdeu’. O policial do Bope levantou a camisa e se identificou como militar. O cabo do GEP disse que também era policial e atirou várias vezes.

14 de Setembro: 1 PM baleado
Lotado no 12º BPM (Niterói), o soldado Alessandro Fonseca Dias, 36 anos, estava de folga quando foi baleado pelo soldado Elias Medeiros Coelho, do 35º BPM (Itaboraí), que estava de serviço. O crime ocorreu no bairro Santo Expedito, em Itaboraí, quando o soldado do 12º BPM saía de um clube. O carro do PM, que era dirigido por sua mulher, Nívea Dias, colidiu com o do também soldado da PM Fredson Nascimento Pereira, lotado no Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BPVE). Os três iniciaram uma discussão e uma viatura do 35º BPM que passava pelo local tentou intervir, mas um dos integrantes da equipe acabou atingindo Fonseca. Ele alegou ter agido em legítima defesa, mas foi autuado por tentativa de homicídio e encaminhado para o Batalhão Prisional Especial (Bep), em Benfica.

15 de Setembro: 1 PM morto
Lotado no 31º BPM (Recreio dos Bandeirantes), o sargento Celso Luiz Moreira, 40 anos, foi morto ao tentar evitar uma saidinha de banco – quando a pessoa é seguida e assaltada após efetuar saque em agência bancária ou caixa eletrônico – em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. O PM estava de folga e percebeu quando um cliente que saía da agência do banco Itaú localizada na Estrada dos Bandeirantes foi abordado por dois homens em uma moto. Ao tentar impedir o assalto, o PM foi baleado – na cabeça, nas costas e no olho.

15 de Setembro: 2 PMs mortos
Responsáveis pela segurança do presidente da Companhia de Água e Esgoto do Rio (Cedae), Wagner Victer, os policiais militares José Roberto Santos de Oliveira, 52 anos, e João Rodrigues Russo Neto, 55, foram assassinados, no Engenho de Dentro, na Zona Norte do Rio.
Os PMs, que estavam em um Toyota Corolla preto, haviam acabado de deixar o presidente da Cedae na casa dele. Segundo testemunhas, os criminosos – que estavam em um Gol prata – impediram a passagem dos policiais, desceram do carro e efetuaram os disparos.

16 de Setembro: 1 PM baleado
Lotado no 9º BPM (Rocha Miranda), o cabo José Paulo dos Santos da Silva, 26 anos, foi baleado de raspão na perna durante confronto com traficantes no Morro do Juramento, em Vicente de Carvalho, na Zona Norte do Rio. O PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, sendo liberado após receber atendimento médico.

16 de Setembro: 1 PM morto
Lotado no 22º BPM (Benfica), o soldado Guilherme Lourenço Caminha, 32 anos, foi assassinado em tentativa de assalto sofrida na esquina das ruas Barão de Cotegipe e Emília Sampaio, em Vila Isabel, na Zona Norte do Rio. Quatro criminosos – sendo três em um carro e um em uma moto – cercaram o Astra em que o PM estava, acompanhado pela mulher, e o obrigaram a sair do veículo. Ele foi reconhecido por estar usando a parte de baixo da farda. Os bandidos, então, fizeram onze disparos em direção ao policial, que foi atingido por seis tiros. Ele ainda chegou a reagir e, na troca de tiros, um dos criminosos também foi baleado. O PM morreu ao dar entrada no Hospital Geral do Andaraí. Um suspeito de participar da tentantiva de assalto, identificado como Moisés Camilo Lucena, 22, foi preso na sala de emergência do Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro do Rio. Há seis anos na corporação, o PM havia sido aprovado em um concurso da Petrobras e deixaria a farda no próximo mês.

17 de Setembro: 1 PM baleado
Lotado no 22º BPM (Benfica), o sargento João Carlos dos Santos Moraes, 40 anos, foi baleado na barriga durante confronto com traficantes que controlam a venda de drogas na Favela de Manguinhos, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio.

18 de Setembro: 1 PM morto
Lotado no 3º BPM (Méier), o cabo Sérgio da Cruz, 39 anos, havia acabo de sair do serviço e tinha se encontrado com o filho, de 16 anos, em um bar localizado na esquina das ruas Paraná e Joaquim Martins, no Engenho de Dentro, na Zona Norte do Rio. Morador de Água Santa, o PM foi surpreendido por dois homens armados, que invadiram o estabelecimento efetuando disparos contra ele. O cabo ainda conseguiu reagir e chegou a sair do bar, indo até o seu carro. Socorrido e levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, ele não resistiu aos ferimentos.

19 de Setembro: 1 PM morto
Lotado no 20º BPM (Mesquita), o soldado René Sátiro de Oliveira, 40 anos, foi encontrado morto dentro de um Fiesta na Rua Lauro Camargo, próximo ao Morro do Chapadão, na Pavuna, na Zona Norte do Rio. Dois acusados de envolvimento no crime foram presos e identificados como Fagner de Souza Conceição e Mauro dos Santos Marcelino. Eles passaram um rádio para um amigo do PM, se fazendo passar por ele, dizendo que o carro estava quebrado e precisava de ajuda. Quando o amigo do policial chegou, foi rendido e obrigado a efetuar saques em caixas eletrônicos. Ele conseguiu fugir e pediu ajuda.

morte de pm

20 de Setembro: 1 PM morto
Lotado no 14º BPM (Bangu), o cabo Alexandre Pires, 38 anos, foi assassinado dentro de um condomínio fechado localizado na Rua João Adil de Oliveira, em Irajá, na Zona Norte do Rio. Segundo testemunhas, cinco bandidos com fuzis e pistolas abordaram o policial e fizeram pelo menos 20 disparos. O condomínio, onde moram muitos policiais civis e militares, tem uma única rua de acesso, com cancela. Moradores contaram que os criminosos estavam em dois carros — um Fox preto e um Punto prata — usando toucas e camisas com a inscrição da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core). O PM – que estava afastado dos serviços de rua – respondia à Conselho de Disciplina por participar da ação que resultou na morte de uma oficial da Aeronáutica, em 2007. Proprietários de um carro que havia sido roubado, Larissa e Douglas Gorchinsky acabaram recuperando o próprio veículo, após o assalto, e seguiam para a delegacia. A vítima acabou morrendo ao ser baleada por policiais do 14º BPM que atiraram contra o automóvel depois que os ocupantes não obedeceram à ordem de parar.

22 de Setembro: 1 PM morto
O sargento reformado Alexandre José Evangelista foi baleado na Avenida Brasil, na pista lateral sentido Centro, na altura de Irajá, na Zona Norte do Rio. O PM estava em um carro Kia Subaru quando ocupantes de um Ford Eco Sport emparelharam com o veículo dele e efetuaram os disparos. Os criminosos fugiram sem levar o automóvel da vítima, que foi socorrida e levada para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, onde morreu.

30 de Setembro: 2 PMs baleados
Lotados no 16º BPM (Olaria), os cabos Toni e Henrique foram baleados de raspão durante perseguição a criminosos do Morro da Fé, na Penha, na Zona Norte do Rio. Os PMs receberam atendimento no Hospital Estadual Getúlio Vargas, no mesmo bairro, e os criminosos conseguiram fugir.

enterro freitas

1 de Outubro: 1 PM morto Lotado no 4º BPM (São Cristóvão), o cabo Wladimir Damasco Freitas, 40 anos, morreu ao ser atingido por cerca de 20 tiros, quando chegava na casa da sogra, na Rua Floriano Peixoto, na Covanca, em São Gonçalo. Ele estava acompanhado pela mulher, Daisemar Marinho, também de 40 anos, e por um sobrinho de 8 anos. A criança não sofreu ferimentos, mas a mulher dele foi atingida por seis tiros na região do abdômen. O PM morreu no local e sua mulher foi socorrida por policiais militares lotados no 7º BPM (São Gonçalo) e levada para o Hospital Estadual Azevedo Lima, no Fonseca, na Zona Norte de Niterói.

morto PM

9 de Outubro: 1 PM morto
Lotado no Serviço de Inteligência (P-2) do 18º BPM (Jacarepaguá), o soldado Rafael Macedo Rocha, 28 anos, foi encontrado morto, no banco traseiro de seu carro, na Avenida Brasil, altura do antigo prédio do Jornal do Brasil, em direção à Zona Oeste do Rio. Da última vez em que o PM foi visto, ele estava saindo do Rio Comprido, na Zona Norte. No corpo havia marcas de espancamento e um tiro na cabeça.

IMG_2849

17 de Outubro: 3 PMs mortos e 4 PMs feridos
Ao tentar impedir novos confrontos entre traficantes das facções criminosas Comando Vermelho (CV) e Amigos dos Amigos (ADA) que disputavam o controle das bocas-de-fumo no Morro dos Macacos, em Vila Isabel, na Zona Norte, sete policiais militares foram vítimas de bandidos. Lotados no Grupamento Aéreo-Marítimo (GAM), os soldados Marcos Stadler Macedo, 40 anos, e Edney Canazaro de Oliveira, 30, morreram carbonizados após o helicóptero em que estavam cair no Morro do Sampaio, na Zona Norte do Rio. O piloto, capitão Marcelo Vaz, 38, sofreu queimaduras na mão esquerda; o co-piloto, capitão Marcelo de Carvalho Mendes, 29, levou tiro de fuzil no pé direito; o cabo Izo Gomes Patrício, 36, teve 90% do corpo queimado; e o cabo Anderson Fernandes dos Santos, 34, também sofreu queimaduras. Lotado no 6º BPM (Tijuca), o major João Jacques Busnello, 39, foi baleado na perna, durante troca de tiros no interior da favela. O cabo Izo Gomes Patrício faleceu no Hospital da Aeronáutica, na Ilha do Governador, na segunda-feira, dia 19.

Cabo PM Izo Gomes Patrício, 36 anos

18 de Outubro: 1 PC morto
O policial civil Walteker Araújo Tavares morreu no Hospital Moacyr do Carmo, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, onde deu entrada após ser baleado três vezes ao reagir a um assalto. Ele trafegava com sua moto pela Rodovia Washington Luiz, no acesso à Linha Vermelha, quando foi abordado pelos criminosos.

viatura 14

22 de Outubro: 1 PM baleado
Lotado no 14º BPM (Bangu), o cabo João Marcelo Cardoso Caldeira, 32 anos, foi baleado na cabeça durante uma troca de tiros com criminosos, no Conjunto Residencial Cardeal Dom Jaime Câmara, em Padre Miguel, na Zona Oeste. Apontado como autor do disparo que atingiu o PM, Douglas Franco Pituba, o Reggae, 19, morreu com um tiro no peito, após tentar se esconder em um dos prédios do Bloco B, na Rua Arari.

24 de Outubro: 1 PM morto
Lotado no 22º BPM (Benfica), o cabo Jorge Wilson Bolsas, 40 anos, morreu após ser baleado seis vezes durante uma discussão em um clube localizado na Rua Muller Campos, no bairro São Mateus, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Um ex-candidato a vereador, que seria um dos donos do clube, é acusado de ter feito os disparos. Segundo a Polícia, a arma do PM foi levada pelo assassino, que não teve o nome divulgado. O cabo estava acompanhado pela mulher e pelo filho de 11 anos.

26 de Outubro: 1 PM morto
Lotado no 22º BPM (Benfica), o sargento Alexandre Costa Dias, 46 anos, morreu no Hospital das Clínicas de Niterói (HCN), no Centro de Niterói, para onde foi levado após ser baleado na porta de casa, na Rua Magnólia Brasil, no Fonseca, na Zona Norte de Niterói.

2 de Novembro: 1 PM baleada
Lotada no Batalhão de Polícia Florestal e do Meio Ambiente, a sargento Carla Gomes de Azevedo, 37 anos, foi baleada no peito, no interior de sua residência, em Itaipuaçu, distrito de Maricá, na Região dos Lagos. Ela alegou ter sido vítima de um disparo acidental feito com sua pistola, mas policiais da 82ª DP passaram a investigar a possibilidade de crime passional após descobrirem que o namorado da PM sumiu após o incidente.

8 de Novembro: 1 PM morto
Lotado na Sala de Operações do 16º BPM (Olaria), o cabo Rinaldo Figueiredo Santos, 42 anos, foi executado após uma partida de futebol no campo do Grêmio Recreativo Água Grande (Grag), em Vista Alegre, na Zona Norte do Rio. O PM fazia parte da diretoria do clube e estava no bar ao lado da quadra de areia de um conjunto habitacional.

11 de Novembro: 1 PC morto
Lotado na 21ª DP (Bonsucesso), o inspetor da Polícia Civil Rogério Carlos Antunes da Costa, 47 anos, foi baleado ao reagir a uma tentativa de assalto na Travessa Gouveia, em Neves, São Gonçalo. O policial estava indo para casa quando foi abordado por dois homens. Os bandidos fugiram levando a moto e a arma do policial.

12 de Novembro: 1 PC baleado
O policial civil aposentado Eduardo Coelho da Silva, 65 anos, foi baleado ao reagir a uma “saidinha de banco”, na Rua Irapura, em Brás de Pina, na Zona Norte do Rio. Ele caminhava em direção ao seu Fusca, quando foi abordado por dois homens. Atingido no tórax, o policial foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha.

13 de novembro: 1 PM morto
Lotado no 9º BPM (Rocha Miranda), o cabo Leonardo Pereira Barbute, 34 anos, lanchava em um quiosque na Travessa Antonieta, em Oswaldo Cruz, na Zona Norte do Rio, quando foi abordado por quatro bandidos em um Siena prata. Ao descobrirem que ele era PM, os criminosos o executaram.

15 de Novembro: 1 PM morto
O sargento reformado da Polícia Militar Rosival Brito, 56 anos, foi assassinado na Rua Cambuci do Vale, em Vicente de Carvalho, na Zona Norte do Rio. O crime teria ocorrido por volta das 11h, em frente a uma oficina mecânica de propriedade do PM, que ainda foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, mas não resistiu aos ferimentos.

20 de Novembro: 1 PM morto e 1 PM baleado
Lotado no 5º BPM (Praça Harmonia), o policial militar Diogo Moura de Souza, 26 anos, foi morto na frente de casa, na Rua Mariana Procópio, no bairro Carolina, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Irmão dele, o PM Rodrigo Moura de Souza, 30, lotado no 38º BPM (Três Rios), também foi baleado na ação criminosa. Os bandidos, que estavam em um Pólo, dispararam na direção dos PMs, que conversavam na calçada. Outras três pessoas acabaram sendo atingidas por balas perdidas: Pedro Paulo Bastos Laer, 11 anos, Paulo Sérgio de Azevedo da Silva, 20, e Orlando de Souza Ramos.

22 de Novembro: 1 PM morto
Lotado no Batalhão Especial Prisional (BEPE), o capitão Fábio Vinícius Cardoso de Almeida morreu na Rua Otranto, na Favela de Vigário Geral, no bairro de mesmo nome, na Zona Norte do Rio. Ele estava acompanhado pelo ex-presidiário Josemar Assunção de Oliveira – que também morreu no local – e pelo técnico em telefonia Alessandro Viana – que foi baleado de raspão no cotovelo direito e conseguiu fugir.

22 de Novembro: 1 PM morto
Lotado no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste do Rio, o cabo Marcelo Ferreira Gomes foi executado quando passava de carro pela Via Dutra, na altura do bairro Jardim América. O PM foi perseguido por ocupantes de uma moto, que emparelharam com o veículo dele e efetuaram os disparos.

23 de Novembro: 1 PM morto
Lotado no 9º BPM (Rocha Miranda), o sargento Gerson Alves Rodrigues foi morto em frente ao Bangu Atlético Clube, no bairro de mesmo nome, na Zona Norte do Rio. O PM saía de um pagode, do qual era chefe da segurança, juntamente com a mulher, Carla Cristina de Jesus Santos, 21, que também morreu no local.

23 de Novembro: 1 PM morto
O policial militar reformado Jessé Pereira de Souza, 70 anos, morreu com um tiro no peito, ao reagir a um assalto na porta de casa, no Vila Três, em São Gonçalo. Os bandidos teriam levado R$ 2 mil do PM, que havia acabado de sair de um banco em Alcântara.

30 de Novembro: 1 PM morto
Lotado no 16º BPM (Olaria), o policial militar Ricardo Guimarães Monteiro foi baleado ao reagir a uma tentativa de assalto, na Avenida Maracanã, no bairro de mesmo nome, nas imediações da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), na Zona Norte do Rio. Socorrido por uma patrulha do 6º BPM (Tijuca), ele foi levado ao Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, onde morreu. O policial prestava serviços de segurança para o ex-presidente do Vasco da Gama, Eurico Miranda.

1º de Dezembro: 1 PM morto
Lotado no 40º BPM (Campo Grande), o sargento Jorge Luiz Fernandes de Oliveira, o Jorginho, 47 anos, foi fuzilado por criminosos que o surpreenderam no momento em que ele trafegava com seu veículo – o Gol branco placa KVI 2281 – pela esquina das ruas Brasópolis e Divinósia, na localidade conhecida como Sete de Abril, em Paciência, na Zona Oeste do Rio.
Sentado no banco do motorista, o PM não teve tempo de reagir e morreu no local. O automóvel ficou com diversas marcas de tiros. A Polícia suspeita que o crime esteja relacionado à disputa envolvendo grupos de milicianos que atuam na Zona Oeste. O homicídio foi registrado na 36ª DP (Santa Cruz).

2 de Dezembro: 2 PMs baleados
Lotado no 7º BPM (São Gonçalo), o soldado Christiano Morse Alves, 35 anos, foi atingido no braço esquerdo após confronto com um criminoso. O PM e seu colega de farda, Carlos Henrique Martins, 27, lotados na motopatrulha e responsáveis pelo Patrulhamento Motorizado Especial (Pamesp) Bancário, seguiam pela Rua Doutor Francisco Portela quando suspeitaram dos ocupantes da moto Twister preta placa KXP 2993. Os suspeitos seguiam em direção à Favela do Feijão, no Paraíso, e reagiram à abordagem.
Na perseguição os criminosos, o sargento Sérgio Alves Figueiredo conduzia a viatura pela Avenida Central, no Porto do Rosa, em direção ao Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) de Itaoca, quando foi atacado pelo motoqueiro. Baleado na perna esquerda, o PM foi socorrido e levado também para o PSSG, onde recebeu atendimento médico, sendo liberado em seguida.

8 de Dezembro: 1 PM morto
Lotado no 22º BPM (Benfica), o sargento Carlos Pacheco de Araújo, 46 anos, morreu após trocar tiros com bandidos na porta do Hotel Show, na Rua Teixeira de Castro, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. O PM foi baleado por um dos três homens que planejavam assaltar o estabelecimento. Ele foi socorrido e levado para Hospital Geral de Bonsucesso, mas não resistiu. Um dos criminosos envolvidos foi preso no Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha. Ferido em uma das pernas e em um dos braços, Alexsandro da Silva Soares procurou socorro na unidade. Na 21ª DP (Bonsucesso), ele confessou que estava acompanhado de outros dois comparsas e que tentariam assaltar o hotel quando um dos criminosos viu o policial na recepção.

9 de Dezembro: 1 PM morto
O policial militar reformado Adilson Joel de Brito, 55 anos, foi assassinado com cerca de 10 tiros, quando passava com sua moto pela Rua João Vicente, em Magalhães Bastos, na Zona Oeste do Rio. De acordo com a Polícia, o PM foi interceptado por três homens em outras duas motos. O policial teria tentado reagir e foi atingido pelos disparos. Os criminosos fugiram levando a pistola da vítima, que morreu no local.

11 de Dezembro: 1 PM morto
Lotado no Laboratório Industrial Farmacêutico (LIF) da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, o sargento Luís Geraldo da Silva Francisco, 45 anos, foi baleado quando chegava em casa, no bairro Jardim Catarina, em São Gonçalo. Ele foi atingido cinco vezes e perdeu um rim. Acompanhado por outro PM, o policial reagiu e os dois criminosos que atiraram contra ele foram presos e identificados como Leonam da Silva Almeida, o Psicopata, 22, e Gabriel Infante Gomes, o Satã, 21. Também baleados, foram levados, junto com o sargento, para o Hospital Estadual Alberto Torres – mais conhecido como Hospital Geral de São Gonçalo – no Colubandê. Posteriormente, o PM foi transferido para o Hospital Central da Polícia Militar, no Estácio, onde morreu, após três dias de internação.

12 de Dezembro: 1 PM baleado
Lotado no 22º BPM (Benfica), o policial militar João Carlos Wallace foi baleado durante uma troca de tiros na Favela Parque União, no Complexo da Maré, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. Atingido no braço esquerdo, o PM foi levado para o Hospital Geral de Bonsucesso.

18 de Dezembro: 1 PM morto
Lotado no 9º BPM (Rocha Miranda), o cabo Renato Gomes Miranda, 40 anos, foi baleado durante confronto entre assaltantes e policiais militares na Avenida Ministro Edgard Romero, próximo ao Mercadão de Madureira, no bairro de mesmo nome, na Zona Norte do Rio. O policial foi atingido por disparos de fuzil em um dos braços e em uma das pernas. Ele ainda caiu e bateu a cabeça, sofrendo traumatismo craniano. Levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, o PM morreu horas depois. Na mesma ação, três pedestres foram baleados e um acabou sendo atropelado na tentativa de fugir dos tiros.

18 de Dezembro: 1 PM baleado
Lotado no 5º BPM (Praça Harmonia), um policial militar que trabalhava no Grupamento de Policiamento Transportado em Ônibus Urbano (GPTOU) foi baleado no Viaduto Ataulfo Alves, em Benfica, na Zona Norte do Rio. Ele estava acompanhado por outros dois PMs e iria realizar revista no interior de um coletivo quando foi alvejado por bandidos que passavam em um veículo.

23 de Dezembro: 1 PM morto
Lotado no 8º BPM (Campos), o soldado Antônio de Souza Ferreira, 29 anos, foi assassinado na Rua Santo Antônio, na Terra Prometida, no momento em que conduzia sua moto Honda Biz. O policial, que levou três tiros – sendo um na cabeça – chegou a ser socorrido pela guarnição Setor Hotel, e levado para o Hospital Ferreira Machado (HFM), onde morreu ao dar entrada.

26 de Dezembro: 1 PM morto
Lotado no Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), o soldado Wilton Marinho da Silva, estava em um churrasco no Morro do Chaves, em Costa Barros, na Zona Norte do Rio, quando foi reconhecido por traficantes. O policial foi assassinado a tiros por cerca de oito bandidos. Socorrido por um amigo, o PM foi levado para uma cabine do 9º BPM (Rocha Miranda) e, de lá, para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, mas não resistiu aos ferimentos.

Print Friendly
Share in top social networks!