bomb

O 2º GBM (Méier) foi selecionado para a final do Prêmio Conrad Dietrich Magirus – que tem o objetivo de aumentar a conscientização pública sobre a dedicação altruísta dos bombeiros e os desafios diários na prestação de serviços às comunidades em que atuam – e está concorrendo com outras nove unidades de bombeiros de todo o mundo.

Os militares brasileiros que estão participando são os que atuaram no socorro às vítimas do acidente ocorrido no dia 28 de janeiro, quando uma passarela caiu sobre veículos na Linha Amarela.

A premiação ocorrerá no próximo dia 21 de novembro, na Alemanha, e os vencedores terão direito a uma viagem de quatro noites a Nova Iorque, e vão conhecer o New York City Fire Department.

A votação vai até o próximo dia 19 de outubro e para votar basta entrar no site do Corpo de Bombeiros (http://www.cbmerj.rj.gov.br) e clicar no banner “Seleção para o Prêmio Conrad Dietrich – sua participação é importante, clique aqui e vote na final!”.

bomb2

Abrirá uma nova janela, do site “Voting for Conrad Dietrich Magirus Award”. No final da página, abaixo de “CAST YOUR VOTE” (Dê o seu voto”), selecione sua história (“Choose your story”), clicando em “Walkway falls due to collision with truck” (“Passarela cai devido à colisão com caminhão”). Depois, preencha seu nome, sobrenome, e-mail e clique em “Submit Vote” (“Enviar voto”).






style="display:inline-block;width:300px;height:250px"
data-ad-client="ca-pub-3066254989306229"
data-ad-slot="4359231289">

Share in top social networks!

cr3

A notícia de que um delegado, um comissário e dois inspetores da Divisão de Homicídios (DH) vão participar do curso Crime Scene Investigation Homicide (CSI Homicide) – “Investigação da Cena do Crime – Homicídios” – gerou desconforto e insatisfação entre os peritos. Apesar da especializada possuir 14 peritos – sendo sete criminais e sete legistas – e seis papiloscopistas, os escolhidos foram o delegado Rivaldo Barbosa de Araújo Júnior, titular da especializada, o comissário Daniel Gomes de Lima Freire, e os inspetores Rafael Antônio Gomes Rangel Júnior e Jussimar de Abreu e Silva.

Entre o conteúdo programático do curso, conceitos e classificação de vestígios; metodologia do exame do local de crime; introdução e conceitos de exames de local, de documentos, objetos, instrumentos e veículos; e regras para preservação dos locais de crime: funções inerentes dos peritos. A especialização, que ocorrerá na Academia Regional de Polícia do Condado de Lake, no Estado da Flórida, nos Estados Unidos, começa nesta sexta-feira, dia 3 de outubro, e vai até o dia 13. Cada policial terá R$ 1.124 por dia para gastos com transporte e refeição, além de R$ 9 mil para os 10 dias de hospedagem e R$ 3.425 para o pagamento da passagem aérea.

cr2

“A Polícia Civil está investindo mais de R$ 60 mil em pessoas que não fazem e nunca vão fazer perícia em local de crime. Ainda por cima, o delegado daqui a pouco vai assumir outra unidade. Nós que somos peritos e podemos usar o aprendizado pelo resto da carreira não conseguimos participar”, desabafou um perito que pediu para não ter a identidade revelada.

cr

“Estamos pedindo para fazer o CSI desde 2012 e nunca conseguimos. Esse ano fomos surpreendidos com essa notícia de que entre os escolhidos não havia nenhum perito”, disse outro policial que também prefere manter o anonimato.



style="display:inline-block;width:300px;height:250px"
data-ad-client="ca-pub-3066254989306229"
data-ad-slot="7887003288">




Share in top social networks!
Imagem de Amostra do You Tube

O vídeo de uma mulher torturando outra a quem acusa de ter um caso com seu marido está causando revolta na internet. Identificada como Elisângela Granneman, a esposa espanca a rival e usa um cigarro aceso para marcar o rosto dela, que é obrigada a repetir ofensas contra si própria e garantir que não voltaria a se relacionar com o homem – que seria Diego Santos, conhecido como Bolinho.

“Ainda faz vídeo batendo na mulher que seu marido pegou. Assumindo ser corna. É o fim do mundo”, criticou uma internauta.

3

“Brigando por um cara feio desse. E ainda conformada com a situação de tomar chifre. Depois quer descontar só na amante”, opinou outro.

“Se o marido dela traiu, tinha que punir ele, e não agredir e humilhar um ser humano. Quando um não quer, dois não brigam”, ressaltou outro.

Elisângela Granneman e Diego Santos, o Bolinho

Elisângela Granneman e Diego Santos, o Bolinho

Em seu perfil no Facebook, Elisângela postou, no último dia 7 de setembro, um recado: “Não é mais meu, mas também não vai ser de mais ninguém!!! Enquanto ainda existir sentimentos, tem que ter ‪respeito‬” e “só me arrependo do que não fiz”.

O crime teria ocorrido na cidade de Praia Grande, em São Paulo, e a Polícia paulista já está procurando os envolvidos no crime.

3




Share in top social networks!

IMG-20140923-WA0088[1]

A Polícia ainda tenta identificar os dois criminosos que conseguiram fugir após atirar contra o comandante da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Vila Kennedy. O crime ocorreu no dia 19 de março, quando o capitão Gabriel Wagner Rosella presenciou um crime ao chegar em casa, no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio.

O oficial estacionava o Sandero descaracterizado que conduzia, quando suspeitou de quatro ocupantes de um Fiat Uno preto que chegou logo depois e presenciou quando dois dos suspeitos desceram do veículo e abordaram um casal que estava em um L200 Mitsubishi Triton preto.

IMG-20140923-WA0093[1]

“Decidi aguardar o momento oportuno e conveniente para realizar a prisão dos elementos sem expor cidadãos a uma injusta agressão ou risco de vida”, ressaltou o capitão Gabriel, que iniciou perseguição assim que o quarteto fugiu.

Percebendo que eram seguidos, os bandidos chegaram a efetuar disparos contra o PM, no momentoem que passavam pela localidade conhecida como Terreirão. Um tiro atingiu o vidro do parabrisa da viatura, mas o oficial não reagiu.

IMG-20140923-WA0087[1]

“Efetuei disparos para cessar a injusta agressão apenas quando havia segurança e acertei o encosto de cabeça do banco do motorista, mas o projétil não transfixou”, relembrou o capitão, que chegou a ligar para o 31º BPM (Recreio dos Bandeirantes) na tentativa de solicitar reforço.

Já na Avenida das Américas, os assaltantes se separaram – tendo a Uno seguido para o acesso à esquerda, no sentido Barra da Tijuca da pista central – e o oficial resolveu permanecer atrás da caminhonete. Apesar do tráfego intenso, a dupla continuava atirando contra o policial até que perdeu o controle da direção do automóvel ao tentar subir no meio fio do canteiro central entre as vias, próximo ao Mc Donald’s. Neste momento, o pneu do veículo furou e os bandidos tentaram continuar a fuga a pé. Um deles correu e conseguiu se esconder no condomínio Vivendas, no sentido Santa Cruz da Avenida das Américas.

IMG-20140923-WA0092[1]

Já o outro, identificado como Dinister Araújo, 32 anos, foi alcançado e detido pelo capitão Gabriel. O comparsa dele, identificado como Caio Cézar Serrano da Silva, 22, foi preso após cerca de uma hora pelo próprio oficial, depois que ele recebeu uma ligação de funcionários do condomínio.

Enquanto o primeiro tinha saído da cadeia há um ano, após ter sido preso por roubo de veículo e porte ilegal de arma, o segundo tinha três mandados de prisão expedidos pela Justiça contra si, por assalto à mão armada, e passagens por homicídio, extorsão, roubo e porte ilegal de arma.

IMG-20140923-WA0091[1]

Quem tiver qualquer informação que auxilie na identificação e localização dos dois comparsas da dupla que conseguiram fugir no Fiat Uno preto pode ligar para o Disque-Denúncia, através do número 2253-1177. Não é preciso se identificar e o anonimato é garantido.



style="display:inline-block;width:300px;height:250px"
data-ad-client="ca-pub-3066254989306229"
data-ad-slot="4071526484">




Share in top social networks!

be

Um dia antes de sua prisão, Izabele Sales Santos, a Bebely, 20 anos, havia postado uma mensagem em sua página no Facebook em que dizia: “Nós fecha nessa porra. No claro e no escuro. Nós rouba e nós trafica. Nóis não gosta de andar duro” (sic). Ela foi flagrada por policiais do Grupamento de Ações Táticas (GAT) e do Serviço de Inteligência (P-2) do 7 BPM (São Gonçalo), na tarde desta quarta-feira, dia 17 de setembro.

10687883_784613901582081_4430143861294198316_o

Ela estava com Antero Alves de Miranda, o Cadu do Valão, 43 anos, Pedro Henrique Mendes dos Santos, o Pretinho, 18, David Rodrigues da Silva Souza, 24, e Wagner Magalhães Rosa, 26. O segundo havia saído do Centro de Recursos Integrados de Atendimento ao Menor (Criam) há menos de uma semana, após completar a maioridade.

Com o quinteto, os PMs encontraram 210 cápsulas de cocaína, 94 trouxinhas de maconha e dois rádios transmissores. Na ação os policiais também apreenderam três máquinas caça-níqueis. A prisão foi efetuada na Estrada das Palmeiras.

be2

Em uma foto postada em seu perfil na rede social, Bebely lamenta que comparsas tenham morrido ou sido presos e diz: “(…)vários irmãos morrer vários está privado. MSC liberdade para o bloco do coroa e muito livramento para o que estar na pista graça a deus” (sic).




Share in top social networks!

setimo2

Um policial para cada 1.518 habitantes. Esta é a realidade do município de São Gonçalo, no Estado do Rio de Janeiro. Apesar de possuir mais de 1 milhão de habitantes distribuídos por 92 bairros, sendo a segunda cidade mais populosa do Estado e a 16ª do país, tem um batalhão – o 7º BPM (São Gonçalo) – com um efetivo de apenas 679 PMs e cerca de 45 viaturas para realizar o patrulhamento em uma área de mais de 251 quilômetros quadrados.

Enquanto isso, o 23º BPM (Leblon) – responsável pelo policiamento ostensivo e patrulhamento de seis bairros localizados na Zona Sul do Rio – tem um efetivo de 916 policiais. Como os bairros sob sua responsabilidade – Gávea, Jardim Botânico, Leblon, Lagoa, Ipanema e São Conrado (incluindo as favelas da Rocinha e do Vidigal, que possuem bases da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), com policiamento exclusivo) – possuem população de 374 mil pessoas, a proporção é de um PM para cada 243 moradores.

setimo

“Um município com mais de um milhão de habitantes possui um batalhão com menos policiais que um batalhão da Zona Sul do Rio que atende a apenas seis bairros. É como usar um cobertor curto no frio: a gente puxa pra cobrir a cabeça e descobre os pés. Puxa pra cobrir os pés, descobre a cabeça. Fazemos milagre com o recurso que o Estado nos oferece: poucos homens e poucas viaturas para uma cidade deste tamanho”, desabafa um soldado lotado no 7º BPM que prefere manter o anonimato com medo de represálias.

O reforço para o efetivo do batalhão gonçalense já foi solicitado tanto ao secretário de Estado de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, como para o governador Sérgio Cabral Filho e a seu vice, Luiz Fernando Pezão, por diversas vezes pelo prefeito de São Gonçalo, Neilton Mulim. A primeira promessa era de que o aumento do número de PMs do 7º BPM ocorresse após a final da Copa do Mundo. Depois, a previsão mudou para o final do ano.

Durante a troca de comando do 7º BPM, quando o tenente-coronel Carlos Eduardo Sarmento da Costa foi substituído pelo coronel Fernando Salema Garção Ribeiro, no último dia 30 de julho, o coronel Wolney Dias, comandante do 4º Comando de Policiamento de Área (4º CPA) – unidade a que estão subordinados os batalhões de São Gonçalo, Niterói, Cabo Frio e Itaboraí (7º BPM, 12º BPM, 25º BPM e 35º BPM, respectivamente) – garantiu que o 7º BPM receberia reforço de 250 homens e um total de 70 viaturas para o policiamento ostensivo.

muda2

“Com uma população superior a 1 milhão de habitantes, é imprescindível o aumento do contingente. Esperamos que a Secretaria de Segurança cumpra a promessa, para que o comando do batalhão possa ter uma estrutura melhor para conseguir trabalhar e diminuir a velocidade da violência em nosso município”, declarou Neilton Mulin, que marcou presença na solenidade em que o tenente-coronel Carlos Eduardo Sarmento da Costa foi substituído pelo coronel Fernando Salema Garção Ribeiro à frente do batalhão gonçalense.



style="display:inline-block;width:300px;height:250px"
data-ad-client="ca-pub-3066254989306229"
data-ad-slot="7887003288">




Share in top social networks!
Imagem de Amostra do You Tube

O Desafio do Gelo – “The Ice Buckett Challenge” – chegou à Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro. Com o objetivo de levantar fundos para pesquisas relativas à Esclerose Lateral Amiotrófica e conscientizar as pessoas sobre a doença, o desafio consiste em jogar um balde de água com gelo na cabeça. Quem aceita a missão deve desafiar outras três pessoas. Quem não aceita faz uma doação em dinheiro. O coronel Ruy Sérgio França de Oliveira, comandante do 25º BPM (Cabo Frio), entrou na brincadeira.

“A ideia, além da mobilização, é poder conscientizar a todos diante de um assunto de extrema relevância e sobretudo que possamos de alguma forma ajudar as pessoas e entidades que cuidam do problema”, afirmou o oficial, que desafiou três empresários niteroienses que são seus amigos pessoais.

Coronel PM Ruy França

Coronel PM Ruy França

Também conhecida como Doença de Lou Gehrig, a ELA (ALS, em inglês) é um tipo de esclerose neurodegenerativa e progressiva que afeta as células nervosas do cérebro e da medula espinhal. As pessoas que têm coragem de tomar o banho gelado também podem contribuir. O dinheiro arrecadado pela ALS Association é usado para garantir apoio a portadores da doença e suas famílias e sustentar um programa global de pesquisa focado na descoberta de novos tratamentos.

Com a divulgação do Desafio do Gelo, a fundação arrecadou US$ 15,6 milhões de doações, entre 29 de julho a 18 de agosto. No mesmo período do ano passado, o valor arrecadado foi de US$ 1,8 milhão – quinze vezes menos.

Para doar à Fundação ALS -> clique AQUI

As doações também podem ser feitas diretamente à Associação Brasileira de Esclerose Lateral Amiotrófica (AbrELA):

Banco Santander

agência 3919

conta corrente 130001906

CNPJ 02.998.423/0001-78

Mais informações: (11) 5579-2668

Site: http://www.abrela.org.br

E-mail: abrela@abrela.org.br






style="display:inline-block;width:300px;height:250px"
data-ad-client="ca-pub-3066254989306229"
data-ad-slot="8756664881">

Share in top social networks!

pedreira5

Identificando-se como Wallace Souza Souza, o Preto Du Terra, e se dizendo ser do Complexo da Pedreira, em Costa Barros, na Zona Norte do Rio, um homem que faz apologia à facção criminosa Amigos dos Amigos (ADA) se exibe publicamente em um perfil criado no Facebook postando fotos em que empunha fuzis e até mesmo um vídeo em que efetua disparos em direção ao Morro do Chapadão – localizado em frente e controlado pela facção rival Comando Vermelho (CV).

Nesta sexta-feira, dia 1º de agosto, Preto Du Terra publicou duas fotos com a legenda “Pique de costa barro” (sic): uma mostra cigarros de maconha dentro de uma embalagem de balas Halls e outra traz uma mensagem aos considerados “X-9″ – como são chamadas as pessoas flagradas denunciando os criminosos: duas pistolas em cima de um desenho de um boneco assassino arrancando a cabeça de um delator.

pedreira6

Em uma das fotos – em que ele aparece com um fuzil no colo e mostrando o rosto ao lado de um comparsa que segura outra arma, mas esconde a cara -, duas amigas dizem ter desistindo das tentativas de aconselhá-lo a não se expor. “Falo mais nada. É contigo mesmo”, escreve uma delas.

O perfil dele na rede social é cheio de imagens em que aparecem fuzis, pistolas, garrafas de wisky e criminosos ostentando armas, coletes à prova de balas e fazendo a letra “L” – uma alusão ao traficante Paulo Cesar Silva dos Santos, o Linho (que teria sido assassinado em São Paulo, em 2003, mas cujo corpo nunca foi encontrado).

pedreira12

Mais FOTOS -> AQUI

VÍDEO -> Bandido atirando a esmo no Complexo da Pedreira




Share in top social networks!

Trio é preso horas após cometer homicídio em Resende

Posted: 24th julho 2014 by Roberta Trindade in Sem categoria
Wesley Lucas de Aguiar Francisco, o Nem, e Darley Joaquim Gomes Ferreira, o DG, ambos de 18 anos, e um menor de 14 anos

Wesley Lucas de Aguiar Francisco, o Nem, e Darley Joaquim Gomes Ferreira, o DG, ambos de 18 anos, e um menor de 14 anos

Após atirar contra policiais do 37º BPM (Resende) durante fuga logo após balear dois homens, em Resende, Wesley Lucas de Aguiar Francisco, o Nem, e Darley Joaquim Gomes Ferreira, o DG, ambos de 18 anos, acabaram presos e um menor de 14 anos apreendido, na noite desta quarta-feira, dia 23 de julho.

Os PMs realizavam patrulhamento de rotina no bairro Liberdade e passavam pela Rua Ary Parreiras quando ouviram o som de disparos de arma de fogo e se depararam com criminosos fugindo em um Chevette. Ao notar a viatura, os bandidos atiraram contra os policiais, que revidaram a agressão. Os tiros atingiram o parabrisa do veículo, mas nenhum PM ficou ferido.

vtr1

Os bandidos foram presos depois que perderam o controle da direção do carro. Com eles, os PMs apreenderam dois revólveres – um calibre 38 e outro 32. Eles contaram à Polícia que pertencem à facção criminosa Comando Vermelho (CV) e possuem envolvimento com o tráfico de drogas no bairro Cidade Alegria. O trio disse, ainda, que estavam vingando a morte de um comparsa, assassinado no último dia 22 de julho por rivais do Terceiro Comando Puro (TCP), que atuam no bairro Liberdade

Conduzidos para a 89ª DP (Resende), eles foram autuados pelo delegado Marcelo Domingues por homicídio duplamente qualificado, homicídio tentado duas vezes (um contra o baleado e outra contra os PMs), porte ilegal de arma de fogo de uso permitido e formação de quadrilha. Os dois maiores também foram autuados por corrupção de menores.

vtr3



style="display:inline-block;width:300px;height:250px"
data-ad-client="ca-pub-3066254989306229"
data-ad-slot="9812796886">




Share in top social networks!
Cristiano dos Santos Soares, 27 anos, e Guilherme Alves da Silva, 22 anos

Cristiano dos Santos Soares, 27 anos, e Guilherme Alves da Silva, 22 anos

Reconhecidos por duas vítimas de assaltos ocorridos no Jardim Botânico e nas Laranjeiras, na Zona Sul do Rio, os mototaxistas Cristiano dos Santos Soares, 27 anos, e Guilherme Alves da Silva, 22, tiveram contra si mandados de prisão temporária expedidos pela Justiça e cumpridos por agentes da 10ª DP (Botafogo), na noite desta segunda-feira, dia 7 de julho.

Moradores da Favela Vila do João, no Complexo da Maré, em Bonsucesso, na Zona Norte, os dois foram conduzidos à delegacia por policiais do 2º BPM (Botafogo) que desconfiaram da atitude da dupla, que estava parada em uma moto preta próximo a uma agência bancária em Laranjeiras. Durante revista realizada na distrital, descobriu-se que havia uma pulseira, um par de brincos, dois anéis e um pen drive, além de outros objetos, na mochila que eles carregavam.

Através de trabalho do Setor de Inteligência da 10ª DP, policiais localizaram duas vítimas de roubos que realizaram o registro na delegacia e descreveram os criminosos com características semelhantes aos da dupla. Elas foram até a unidade e reconheceram, além dos pertences, os assaltantes e a moto utilizada por eles – uma moto Honda XRE preta.

Um dos casos ocorreu no dia 24 de junho, quando uma mulher foi abordada ao sair do trabalho, na Rua Marquês de Sabará, no Jardim Botânico. Armados, os dois homens arrancaram sua mochila, levando carteira com documentos e cartões bancários, além de anéis, pulseira e brincos.
Três dias depois, a vítima foi uma mulher abordada na Rua Coelho Neto em Laranjeiras. Dessa vez, eles roubaram o telefone celular, bolsa e um pen drive com diversos arquivos e fotos.

Após serem reconhecidos na delegacia, os dois confessaram em depoimento terem praticados os referidos roubos.

“No mesmo dia fomos ao plantão judicial onde representei pela prisão cautelar dos envolvidos. Esperamos com a divulgação dessa prisão que outras vítimas desses marginais compareçam à delegacia para procederem o reconhecimento pessoal”, disse o delegado Aloysio Falcão.



style="display:inline-block;width:300px;height:250px"
data-ad-client="ca-pub-3066254989306229"
data-ad-slot="5310564883">




Share in top social networks!